Inovação para a Agricultura

pten
Rede Rural Nacional - Página do FacebookRede Rural Nacional - Página do TwitterRede Rural Nacional - Página do InstagramRede Rural Nacional - Canal do Youtube
  • S14
  • S5
  • S12
  • S7
  • S2
  • S8
  • Inovação na Agricultura
  • S6
  • S3
  • S13
  • S11

BRESOV - Produção de vegetais orgânicos resilientes, eficientes e sustentáveis


Fonte de financiamento : H 2020
Identificação do problema ou oportunidade que se propõe abordar:

Enfrentar os desafios nutricionais de uma população mundial crescente e combater as alterações climáticas, aumentando a produtividade das diferentes culturas hortícolas numa infraestrutura agrícola orgânica e sustentável.

Descritores: Tomate; Alterações climáticas


Objetivos visados:

Neste projeto, é explorada a variação genética de brócolis, couve-rábano, feijão e tomate para aumentar a produtividade, explorando o conhecimento atualizado da estrutura e função do genoma.



Pontos de situação / Resultados:

Projeto em curso. O projeto lida com a necessidade urgente de fornecer cultivares resilientes ao clima dirigidos a sistemas de produção de vegetais orgânicos. Essas novas cultivares beneficiarão os produtores orgânicos e a indústria de sementes orgânicas, fornecendo a segurança necessária tanto nos cenários atuais como futuros das mudanças climáticas. Melhorar a competitividade de três importantes hortaliças na produção orgânica. Aumentar a tolerância das plantas a stresses bióticos e abióticos.

Ideotype South - characterization of wheat varieties more tolerant to climate change


Fonte de financiamento : OUTROS
Identificação do problema ou oportunidade que se propõe abordar:

A adaptação às alterações climáticas é uma preocupação fulcral nas atividades de melhoramento genético de cereais desenvolvidas no INIAV-Elvas (Estação de Melhoramento de Plantas) e é também o principal tema tratado na estação de experimentação do Arvalis situada na região da Provença. Esta estação Arvalis, é a mais impactada, no que respeita à produção de trigo duro em França, e juntamente com a Estação INIAV de Elvas, prefiguram condições que irão encontrar os produtores de trigo em alguns anos noutras partes da Europa (mesmo situadas mais a norte), particularmente em relação aos constrangimentos hídrico e de temperaturas elevadas. A caracterização e seleção de variedades de trigo mais tolerantes ao stress hídrico e térmico são as questões abordadas neste projeto.

Descritores: cereais; Alterações climáticas


Objetivos visados:

Os objetivos visados são: definir um ideotipo de trigo para o crescimento em condições de stresse hídrico e térmico; criar novas variedades de trigo duro e trigo mole com adaptação e melhor resposta da produção aos riscos climáticos em ambiente mediterrânico (apenas para a equipa de melhoramento genético do INIAV) e identificar e quantificar riscos climáticos atuais e futuros a evitar. Além disso, no âmbito deste trabalho, os sistemas de produção utilizados pelos agricultores e pelos seus sectores são descritos e caracterizados com o objetivo de fornecer ferramentas para monitorização eficiente num clima em mudança e por vezes caótico.



Pontos de situação / Resultados:

Com a caracterização dos cenários climáticos ocorridos nos ensaios Ideotipo Sul entre 2011/2012 e 2017/2018 (7 anos de ensaios, em 2 locais, em sequeiro e regadio = 28 cenários climáticos experimentados), foi possível constatar que 60% dos ensaios se classificaram em cenários muito stressantes, com um stresse hídrico que começa logo após o início do alongamento dos caules (fase do ciclo espiga a 1 cm) e que prossegue, piorando até à maturação do grão. A colaboração com Portugal permite que França consiga explorar cenários stressantes muito precoces, o que raramente ocorre nesse país, mesmo na região do sudeste, que é a mais stressante para a produção de cereais.Com a caracterização dos cenários climáticos ocorridos nos ensaios Ideotipo Sul entre 2011/2012 e 2017/2018 (7 anos de ensaios, em 2 locais, em sequeiro e regadio = 28 cenários climáticos experimentados), foi possível constatar que 60% dos ensaios se classificaram em cenários muito stressantes, com um stresse hídrico que começa logo após o início do alongamento dos caules (fase do ciclo espiga a 1 cm) e que prossegue, piorando até à maturação do grão. A colaboração com Portugal permite que França consiga explorar cenários stressantes muito precoces, o que raramente ocorre nesse país, mesmo na região do sudeste, que é a mais stressante para a produção de cereais.Os resultados mostraram ainda que, a performance das variedades, em termos de produção, esteve fortemente correlacionada (R2 = 92%) com a data em que ocorre o ponto de inflexão da curva de senescência das plantas, quer em regadio, quer em sequeiro (pluvial). Independentemente das condições hídricas, as produções são tanto mais elevadas quanto mais tardia for a senescência foliar. O início da senescência das folhas superiores é assim crucial para a produção de grão. A data em que ocorre o ponto de inflexão da senescência das plantas, permite prever de forma confiável o desempenho do trigo em condições de stresse hídrico, podendo assim ser utilizável como critério de seleção para estas condições pelos melhoradores.Paralelamente aos estudos de fenotipagem, a equipa do INIAV-Elvas deu início à realização de cruzamentos artificiais e consequente seleção baseados no ideotipo definido no final da fase 1 do Programa Ideotipo Sul (2011-2015).

OPTIMUS PRIME — Otimização de infraestruturas verdes em vales agrícolas irrigados para promoção da qualidade ambiental e biodiversidade


Fonte de financiamento : FCT
Identificação do problema ou oportunidade que se propõe abordar:

A intensificação agrícola é atualmente considerado o principal fator de perda de biodiversidade a nível mundial. As políticas agro-ambientais da UE foram introduzidas para reduzir a perda de biodiversidade, subsidiando os agricultores que promovem práticas agrícolas benéficas para o clima e o meio ambiente, comprometendo uma percentagem de área produtiva para Áreas de Foco Ecológico (EFAs). No entanto, pouco se sabe sobre os efeitos da sua tipologia, dimensão e configurações espaciais no fornecimento de serviços ecológicos e de biodiversidade, que no geral também não são quantificados. Este projecto visa estabelecer relações preditivas entre indicadores de biodiversidade, serviços ecossistémicos e as EFAs, considerando a sua tipologia e configuração paisagística.


Objetivos visados:

O projeto Optimus Prime, tem como objetivo quantificar a biodiversidade e os serviços de ecossistema proporcionados pelas EFAs em sistemas de agricultura irrigada, bem como identificar as configurações de habitat que providenciam a capacidade máxima dos serviços de ecossistema. O Optimus Prime pretende ainda simular o fornecimento de água e serviços de biodiversidade para diferentes cenários futuros de alterações climáticas e de desenvolvimento agrícola, bem como proceder à análise e contabilização dos custos económicos e das compensações resultantes da implementação das políticas agroambientais.


Sumário do plano de ação:

O projeto desenvolve-se a partir de dois case-studies, sendo que a informação é recolhida no local e remotamente. Os resultados contarão com o input dos agricultores durante toda a iniciativa.


Pontos de situação / Resultados:

Protocolo metodológico

Relatório de progresso 1

Análise exploratória de aplicação do modelo SWAT ao rio Almonda

Relatório de progresso 2

Publicações:

Segunda Via - Intensificação Ecológica da Agricultura


Identificação do problema ou oportunidade que se propõe abordar:

Conhecer os serviços dos ecossistemas existentes e desenvolver importantes infraestruturas ecológicas, e "arrancar" com este conceito, tendo em atenção, que só progressivamente e com bons exemplos é que  será possível, expandir o conceito, sempre a par com a rentabilidade e sustentabilidade do desempenho económico da exploração.


Objetivos visados:

O objetivo do projeto é o desenvolvimento de um modelo de gestão agrícola moderna que compatibilize a rentabilidade da produção agrícola com as práticas de conservação e restauração de habitats ecológicos. É a convicção do promotor que com a aplicação deste projeto, seja possível, desenvolver um modelo tipo de uma exploração ambientalmente responsável e, simultaneamente, capitalizar o extenso capital natural existente na exploração agrícola e que o mesmo, possa ser amplamente replicado na região (zona envolvente do estuário do Tejo) e pelo país.


Sumário do plano de ação:
  • Trabalho de campo | Quantificação de Serviços dos Ecossistemas - Ciclo de Nutrientes 
  • Dashboard - Quantificação dos Serviços dos Ecossistemas (calculadora QUESSA) 
  • Criação Valado (Corredor Ecológico)
  • Criação Orla Multifuncional 
  • Colocação Protetores Metálicos 

Pontos de situação / Resultados:

Em execusão

Consultar a Agenda de eventos


Agenda
de Eventos

Consultar o Grupo de Trabalho Inovação


Grupo de 
Trabalho Inovação

Consultar a Folha Informativa RRN- Inovação


Folha Informativa
RRN- Inovação

Consultar a Bolsa de Iniciativas


Bolsa de Iniciativas

Centro de recursos


Centro de Recursos