Inovação para a Agricultura

FacebookTwitterGoogle BookmarksRSS Feed
PT EN
  • Inovação na Agricultura
  • S14
  • S13
  • S3
  • S6
  • S2
  • S8
  • S12
  • S11
  • S7
  • S5

Poda mecanizada e colheita em contínuo de olivais de variedades portuguesas

Entidade líder do projeto: UNIVERSIDADE DE ÉVORA
Responsável pelo projeto: Universidade Évora
Área do plano de ação: Olivicultura
Parceiros:

ASSOCIACÃO DOS OLIVICULTORES DA REGIÃO DE ELVAS; TORRE DAS FIGUEIRAS-SOCIEDADE AGRICOLA LDA.  


Prioridade do FEADER: P5E) promoção da conservação e do sequestro de carbono na agricultura e na silvicultura;
Identificação do problema ou oportunidade que se propõe abordar:

Nas novas plantações, as variedades tradicionalmente cultivadas em cada região têm vindo a perder importância, plantando-se olivais com um número de variedades cada vez mais restrito e normalmente procedentes de outros países. Portugal poderá acrescentar maior valor à produção de azeite, a qual tem já uma relevante expressão na exportação, se não esquecer as variedades portuguesas e as DOP, que são importantes fontes de diferenciação dos produtos deste tipo. Se a aposta na olivicultura tem de estar associada à promoção da qualidade do azeite e em particular o azeite proveniente de variedades nacionais, há que reconhecer que a presença destas variedades não é, por si só, garantia de produção de azeite de qualidade e em quantidade. Será também necessária a melhoria e adequação das técnicas de produção e de protecção a essas variedades.

Com efeito, podem ser identificados vários estrangulamentos na sua produção, quer na protecção da cultura contra pragas e doenças, quer na diminuição dos custos das operações culturais que necessitam de maior utilização de mão-de-obra – a poda e a colheita. A grande revolução que ocorreu recentemente no olival, foi a colheita em contínuo das árvores no olival “superintensivo”. Contudo, tal só é possível com um muito reduzido grupo exótico de variedades. Pretende-se com esta iniciativa encontrar uma tecnologia que possa ter idênticas vantagens de colheita em contínuo, adaptável às variedades portuguesas, mais vigorosas e com maior volume de copa.


Objetivos visados:

1) Os projectos Máquina de Colheita em Contínuo de Azeitona (MCCA), ADI/QREN nº 3457 (2009/2012) e Avaliação do desempenho da MCCA, PRODER 55344 (2014/2016), permitiram projectar e construir o protótipo da MCCA, em colaboração com uma PME e com um olivicultor. A MCCA tem sido testada desde 2011.

2) Para os OS: avaliação de estratégias de poda mecânica (PM), desde 2010, no OS da Herdade dos Lameirões, em VP em comparação com a variedade espanhola Arbequina. Com a dificuldade de só poder testar a MCCA em 4 semanas/ano, a equipa tem vindo a apurar o trinómio formado pela Eficiência de destaque/Danos na árvore/Fiabilidade estrutural do mastro vibratório (EDF). A campanha de 2015 mostrou progressos de Fiabilidade no trinómio EDF. A Eficiência e os Danos, estão aquém do que se verifica com os métodos de colheita do olivicultor. O ensaio das VP em OS na Herdade dos Lameirões mostrou que é possível reabilitar o olival após vários anos sem poda, com base na PM. Iniciaram-se em 2014 testes de avaliação da sequência de PM que permita controlar a dimensão da copa para a colheita com máquina vindimadora.

Dois objectivos gerais para o Grupo Operacional (GO), 2017/2020:

1. Nos OIR com 5m de compasso, definir uma estratégia de PM com complemento manual que incentive a presença da azeitona na periferia da copa em detrimento do seu interior. Nos OIR com compassos mais apertados, concentrar a produção em planos exteriores verticais, conformando a copa em sebe, em vez da forma esférica. O mastro vibratório não necessitará de penetrar fundo na copa, concentrando a energia vibratória no exterior onde se concentra a maior produção de azeitona; menos colisões de componentes estruturais da MCCA com as copas e vice-versa. Resultando esperado: aumento do trinómio EDF.

2. Nos OS, encontrar a estratégia de poda, baseada em PM, que permita controlar a dimensão da copa das VP mantendo a capacidade produtiva.


Sumário do plano de ação:

Tecnica inovadora, integrando poda e colheita, na gestão económica eficiente da produção de azeitona em consonância com a utilização de variedades portuguesas.


Pontos de situação / Resultados:

Dia aberto: 19 de março na Herdade da Torre das Figueiras, em Monforte, no âmbito do Grupo Operacional "Poda mecanizada e colheita em contínuo de olivais de variedades portuguesas" realizou-se um dia aberto para apresentação dos trabalhos de poda de adequação à colheita em contínuo.

Dia aberto: 30 de julho apresentação dos trabalhos de poda de verão em Olival Superintensivo de Galega, no âmbito do Grupo Operacional "Poda Mecanizada e colheita em contínuo de olivais de variedades portuguesas".