Inovação para a Agricultura

FacebookTwitterGoogle BookmarksRSS Feed
PT EN
  • S2
  • S12
  • S14
  • S3
  • S5
  • Inovação na Agricultura
  • S7
  • S6
  • S11
  • S13
  • S8

Projetos Alterações Climáticas - RIAAC-AGRI (PDR2020 - Assistência técnica RRN - Área 4)

Pesquisar projectos

Área plano de acção

Fonte de financiamento

RESCOE - Avaliação do Risco e Sustentabilidade Ecológica de Sobreiro em Ecossistemas de Montado

Entidade líder do projeto: Centro de Ecologia Funcional, Universidade de Coimbra
Responsável pelo projeto: Sofia dos Santos da Rocha Costa
Parceiros:

Universidade do Minho; Universidade do Algarve, Portugal; IMAR - Instituto do Mar (IMAR)

Data de início do projeto: 01-01-2010
Data de fim do projeto: 31-12-2013

Fonte de financiamento : PT 2020, FCT
Identificação do problema ou oportunidade que se propõe abordar:

O Montado tem entrado em declínio desde a segunda metade do Séc. XX, sob circunstâncias ainda não esclarecidas. Considera-se que um elevado número de fatores poderá estar implicado no declínio e morte súbita dos sobreiros, e estes incluem o ataque por um complexo de doenças e pragas, a intensificação da exploração do sobreiro, e fatores abióticos, em particular a seca. O Projeto incide no estudo de fatores bióticos e abióticos que consideramos poderem ter um papel importante no declínio do sobreiro. Estudos recentes de modelação advertem que as alterações climáticas constituem um facto de risco efetivo para a sustentabilidade do sobreiro na bacia mediterrânica, por favorecerem o estabelecimento e a agressividade de agentes patogénicos.

Descritores: Seca; Montado


Objetivos visados:

Durante o projeto pretende-se recolher informação sobre a disponibilidade de água para as árvores, práticas de gestão do montado, condições climatológicas, e avaliar, no campo, a performance da planta, para posteriormente comparar estes dados com o historial de declínio e integrá-los com os resultados obtidos do estudo dos organismos associados ao sistema.



Pontos de situação / Resultados:

Os resultados até ao momento sugerem que organismos simbiontes mutualistas do solo (fungos micorrízicos), reconhecidos como elementos funcionais do solo essenciais para o equilíbrio dos ecossistemas a que estão associados, poderão ser utilizados para diagnosticar níveis de perturbação da diversidade biológica em função das praticas de uso do solo e a condição de mortalidade do sobreiro.