Inovação para a Agricultura

FacebookTwitterGoogle BookmarksRSS Feed
PT EN
  • S3
  • S7
  • S6
  • S2
  • S12
  • S14
  • S13
  • Inovação na Agricultura
  • S11
  • S8
  • S5

OPTIMAL - Optimização, Maçã, Alcobaça

Entidade líder do projeto: INSTITUTO NACIONAL DE INVESTIGAÇÃO AGRÁRIA E VETERINÁRIA IP
Responsável pelo projeto: Miguel Leão (miguel.leao@iniav.pt)
Site do projeto: https://go-optimal.webnode.pt/
Área do plano de ação: Cultura de pomóideas e prunóideas
Parceiros:

ASSOCIAÇÃO DOS PRODUTORES DE MACA DE ALCOBAÇA; CAMPOTEC IN - CONS. E TRANSFORMAÇÃO DE HORTOFRUTÍCOLAS, SA; CENTRO OPERATIVO E TECNOLÓGICO HORTOFRUTÍCOLA NACIONAL; FACULDADE DE CIENCIAS DA UNIVERSIDADE DE LISBOA; FRUBAÇA - COOPERATIVA DE HORTOFRUTICULTORES CRL; FRUTALVOR-CENTRAL FRUTEIRA CRL; INSTITUTO SUPERIOR DE AGRONOMIA; SOATI - SOCIEDADE DE AGRICULTURA DE GRUPO LDA; SOCIEDADE AGRICOLA DA QUINTA DO BREJO DE VALE DE MACIEIRA LDA; VALE DO BAÇA - SOCIEDADE AGRICOLA, LDA;


Prioridade do FEADER: P5E) promoção da conservação e do sequestro de carbono na agricultura e na silvicultura;
Identificação do problema ou oportunidade que se propõe abordar:

As orientações que têm sido seguidas na fileira da "Maçã de Alcobaça" são fruto das convicções que técnicos e produtores têm adquirido em visitas técnicas internacionais às principais zonas concorrentes. Não existindo um modelo coerente, pretende-se recolher conhecimentos específicos sobre a cultura da maçã na região da IGP, os quais se pretende que assentem sobre uma base tecnológica e cientifica fortes, de forma a produzir uma matriz de procedimentos e orientações conducentes à generalização de um modelo de pomar mais profissional, nomeadamente, no que respeita às densidades ótimas de plantação e técnicas de poda mais adequadas aos novos modelos de plantação, que permitam regularizar produtividades e maximizar as características organoléticas e riqueza em fitoquímicos das maçãs de Alcobaça, fundamentais para a criação da gama "Premium", a aguardar pela definição da tecnologia de produção que lhe dê origem para posterior produção e introdução no mercado (ver protocolo com entidade parceira em anexo aos formulários).

Com a realização deste projeto, pretende-se a inovação de produto e de processo, clarificando as orientações a seguir pela fileira, mediante um modelo de produção que tire partido das características edafo-climáticas da IGP, diferentes de outras regiões de onde os atuais modelos de produção têm sido importados, e que permita com uma tecnologia de produção diferenciadora criar a gama de Maçã de Alcobaça "Premium", orientada para diferentes segmentos de mercado, nomeadamente exportação e cliente nacional com preferência de gamas "Top". Recolhendo dados de fotossíntese, interceção e distribuição de radiação no interior do coberto vegetal, bem como outros parâmetros fisiológicos, será possível perceber qual a densidade de plantação e tipo de poda mais adequadas à maximização do desempenho de macieiras conduzidas em eixo central revestido e produzidas na IGP "Maçã de Alcobaça", preparando a sua internacionalização com um produto de qualidade superior.


Objetivos visados:

O objetivo pretendido é definir um intervalo restrito para as densidades de plantação a aconselhar nos novos pomares de "Maçã de Alcobaça" (ajustadas às condições edafo-climáticas da IGP) e caraterizar o tipo de poda a recomendar para estes pomares de forma uniformizar um modelo de produção na região da IGP. Para se atingir este objetivo serão selecionados e estudados em detalhe pomares modernos em produção com diferentes densidades de plantação e constituídos ensaios demonstrativos de poda nos pomares das entidades envolvidas neste GO.

Os intervalos de densidade de plantação e as modalidades de poda a estudar serão as usadas e recomendadas nos principais países produtores de maçã, as quais necessitam de ser adequadas e validadas nas condições da IGP, pois as condições de solo, temperatura e radiação são diferentes e podem ser mais vantajosas quando comparadas com países do centro e norte da Europa, desde que adaptadas as condições de plantação do pomar. Estes pomares serão alvo de estudos detalhados com recolha de dados fisiológicos e de radiação, que irão sustentar a caracterização dos parâmetros culturais envolvidos na definição das técnicas culturais (densidade e poda). Para definir um modelo de pomar ajustado às nossas condições (que permita intercetar e distribuir a radiação no interior das árvores para assegurar produção e qualidade) será necessário recolher dados de fotossíntese, radiação, parâmetros de qualidade dos frutos e analisar o seu crescimento real comparativamente ao crescimento potencial, para que os resultados deste projeto sejam aplicáveis à região e não exclusivamente aos pomares estudados como acontece com os ensaios experimentais frequentemente realizados no âmbito de projetos de experimentação.

Estarão envolvidos 11 pomares (3 pertencentes a associados da Campotec, 3 a associados da Frubaça, 3 a associados da Frutalvor e 2 nos campos experimentais do INIAV), numa área total de 19.2ha, o que representa 30 campos demonstrativos onde serão montados os ensaios de Densidade (4 pomares); Poda (2 pomares); Variedades (3 pomares); Fisiologia (9 pomares); Crescimento de frutos e Qualidade dos frutos (12 pomares).

Com a concretização destes objetivos pretendemos alcançar uma tipologia de pomar para a IGP "Maçã de Alcobaça" com densidade e tipo de poda definidas, de forma a atingir produtividades regulares de 50 ton/ha, níveis de coloração superiores a 70%, % de calibres acima de 70mm superior a 50% e Brix acima de 14, especificações que estarão na origem do novo produto "Premium". Alcançados estes objetivos a região da IGP irá ter o maior contributo técnico e científico da sua história, reunindo condições para a sua internacionalização e com isso estímulo à sua economia.


Sumário do plano de ação:

As orientações que têm sido seguidas na fileira da “Maçã de Alcobaça” são fruto das convicções que técnicos e produtores têm adquirido em visitas técnicas internacionais às principais zonas concorrentes. Não existindo um modelo coerente, pretende-se recolher conhecimentos específicos sobre a cultura da maçã na região da IGP, os quais se pretende que assentem sobre uma base tecnológica e cientifica fortes, de forma a produzir uma matriz de procedimentos e orientações conducentes à generalização de um modelo de pomar mais profissional, nomeadamente, no que respeita às densidades ótimas de plantação e técnicas de poda mais adequadas aos novos modelos de plantação, que permitam regularizar produtividades e maximizar as características organoléticas e riqueza em fitoquímicos das maçãs de Alcobaça, fundamentais para a criação da gama “Premium”, a aguardar pela definição da tecnologia de produção que lhe dê origem para posterior produção e introdução no mercado.

Com a realização deste projeto, pretende-se a inovação de produto e de processo, clarificando as orientações a seguir pela fileira, mediante um modelo de produção que tire partido das características edafo-climáticas da IGP, diferentes de outras regiões de onde os atuais modelos de produção têm sido importados, e que permita com uma tecnologia de produção diferenciadora criar a gama de Maçã de Alcobaça “Premium”, orientada para diferentes segmentos de mercado, nomeadamente exportação e cliente nacional com preferência de gamas “Top”. Recolhendo dados de fotossíntese, interceção e distribuição de radiação no interior do coberto vegetal, bem como outros parâmetros fisiológicos, será possível perceber qual a densidade de plantação e tipo de poda mais adequadas à maximização do desempenho de macieiras conduzidas em eixo central revestido e produzidas na IGP “Maçã de Alcobaça”, preparando a sua internacionalização com um produto de qualidade superior.


Pontos de situação / Resultados:

Em início de atividade.