Inovação para a Agricultura

FacebookTwitterGoogle BookmarksRSS Feed
PT EN
  • S13
  • S5
  • S3
  • S8
  • S7
  • S10
  • S12
  • S6
  • S11
  • S2
  • S14

SambucusValor - Valorização integrada do sabugueiro em função dos padrões de consumo saudável: da planta à criação de novos produtos alimentares de valor acrescentado.

Entidade líder do projeto: INOVTERRA, ASSOCIAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO LOCAL
Responsável pelo projeto: InovTerra Local
Site do projeto: http://www.sambucusvalor.com
Área do plano de ação: Frutas e produtos hortícolas
Parceiros:

ALBERTO LUIS BRANCO MIRANDA DE CARVALHO NETO; INOVFOOD , UNIPESSOAL LDA; INSTITUTO NACIONAL DE INVESTIGAÇÃO AGRÁRIA E VETERINÁRIA IP; OLDLAND, UNIPESSOAL LDA.; PUBLINDUSTRIA PRODUÇÃO DE COMUNICAÇÃO LDA; UNIVERSIDADE DE AVEIRO


Prioridade do FEADER: P3A) aumento da competitividade dos produtores primários mediante a sua melhor integração na cadeia agroalimentar através de regimes de qualidade, do acrescento de valor aos produtos agrícolas, da promoção em mercados locais e circuitos de abastecimento curtos, dos agrupamentos e organizações de produtores e das organizações interprofissionais;
Identificação do problema ou oportunidade que se propõe abordar:

A indústria agroalimentar é considerada um setor chave na União Europeia, e em Portugal representa 16% do volume de negócios do total da indústria [1,2]. Tem-se verificado que, especialmente na última década, as indústrias portuguesas deste setor perceberam que a inovação e o desenvolvimento de novos produtos são requisitos básicos para a sua sustentabilidade e competitividade, nos mercados interno e externo. A atitude do consumidor, imposições legais, apoio financeiro à inovação e os desenvolvimentos no sistema tecnológico Português, estão entre os fatores que têm catalisado a inovação e desenvolvimento neste setor.

Nos últimos anos, tem-se observado a criação de produtos genuinamente portugueses, muito competitivos no mercado, o que tem contribuído para aumentar a confiança dos consumidores e a imagem dos produtos portugueses em vários mercados. O desenvolvimento de vários produtos de qualidade premium deve-se também às características dos produtos agrícolas portugueses, como resultado da combinação de variedades com características muito interessantes sensorialmente, assim como o clima e modernização observada no setor agrícola. Na zona do Vale do Varosa e Távora existem culturas de sabugueiro com boa capacidade de adaptação às condições naturais e de cultivo. A flor e a baga podem ser exploradas como uma excecional fonte de matéria-prima para o desenvolvimento de produtos alimentares de valor acrescentado, em linha com as atuais tendências de mercado em que se identifica a procura por produtos saudáveis, naturais, locais, práticos, i.e. que no geral proporcionem bem-estar e prazer. O relatório da Committee on Herbal Medicinal Products (HMPC) da European Medicinis Agency demonstra de forma muito detalhada o uso desde a antiguidade do sabugueiro na medicina tradicional, assim como vários estudos atuais que mostram existir vários efeitos benéficos para a saúde [3]. No entanto, em Portugal a flor é pouco utilizada na elaboração de alimentos, assim como a baga, que normalmente é refrigerada, após colheita, e exportada quase em exclusivo para o Norte da Europa, nomeadamente para a Alemanha e Holanda. Nestes países é usada para a produção de produtos de valor acrescentado. Efetivamente, esta matéria-prima não tem sido devidamente valorizado pelos produtores ou outros agentes económicos portugueses.

O GO SambucusValor identificou aqui uma oportunidade de criação de valor a partir do sabugueiro com base na implementação de uma estratégia integrada e sustentável, criando sinergismos entre uma associação de desenvolvimento local com amplo know-how na cultura do sabugueiro, empresas e entidades I&D com conhecimento consolidado nas áreas chave da gestão e valorização de recursos naturais e biotecnologia alimentar. Foram definidos como objetivos principais o desenvolvimento de novos produtos alimentares com potencial de comercialização e a criação de um centro piloto do sabugueiro a disponibilizar aos produtores de sabugueiro e que deverá ainda servir como um núcleo futuro de inovação em toda a cadeia de valor do sabugueiro. O plano de ação do GO SambucusValor assenta em todas as fases na forte interação e transferência de conhecimento entre as entidades parceiras.


Objetivos visados:

O GO SambucusValor pretende tirar partido do facto de em Portugal existirem culturas de sabugueiro com boa capacidade de adaptação às condições naturais e de cultivo e que podem funcionar como uma excecional fonte de matéria-prima para o desenvolvimento de produtos alimentares de valor acrescentado, em linha com as atuais tendências de mercado, nomeadamente a valorização de produtos naturais, locais, saudáveis, práticos de consumir, e que confiram prazer e bem-estar. Assim, o GO SambucusValor visa o desenvolvimento de produtos alimentares de valor acrescentado a partir do sabugueiro, com vista a aumentar a sua penetração nos mercados interno e externo. Este GO pretende contribuir para a valorização integrada deste recurso endógeno português com base na criação de indicadores de qualidade e de estratégias de produção e transformação sustentáveis, nomeadamente tirando partido das competências e recursos instalados nas entidades parceiras, e que deverão conduzir à criação de um centro piloto do sabugueiro potenciador deste desenvolvimento. Este centro deverá constituir um núcleo de inovação em toda a cadeia de valor do sabugueiro. É ainda de realçar que a equipa foi desenhada no sentido de criar sinergismos e complementaridades, estimulando os canais adequados de comunicação e de transferência de conhecimentos e tecnologias, aproximando as entidades I&D com os produtores e empresas do setor agroalimentar.

Foram definidos os seguintes objetivos específicos:

a) Definição de indicadores de qualidade da flor e da baga (parâmetros físico-químicos), que relacionam as condições de cultura com a composição da flor e da baga. Esta informação sobre o ciclo de produção da flor e da baga poderá ser útil na rastreabilidade e ainda na construção de uma estratégia inovadora de comunicação com o consumidor.

b) Implementação de processos de estabilização e armazenamento da flor e baga com vista a preservar os seus componentes bioativos num período superior ao de colheita normal dos materiais (cerca de 1 mês), garantindo assim o aprovisionamento contínuo de matérias-primas com rigorosos padrões de qualidade alimentar. Sendo estes produtos sazonais, é fundamental criar condições para incrementar a sua disponibilidade no mercado ao longo do ano, mantendo tanto quanto possível a sua integridade.

c) Conceção e desenvolvimento de novos produtos alimentares, nomeadamente, liofilizados, pós com diferentes granulometrias, concentrados, e prensados secos, tirando partidos das distintas da flor e da baga de sabugueiro.

d) Avaliação nutricional dos produtos a desenvolver. Esta informação é fundamental para a criação de valor acrescentado e relação de confiança com o consumidor.

e) Criação de um website, de redes de disseminação de informação e de rede de parcerias com associações de consumidores, empresas do ramo alimentar e produtores de sabugueiro como forma de divulgação, comunicação e valorização do sabugueiro, a nível nacional e internacional.

f) Criação de um centro piloto do sabugueiro que deverá representar um núcleo de inovação em toda a cadeia de valor do sabugueiro: da planta à criação de novos produtos alimentares de valor acrescentado. Numa fase de pré-projeto está planificada a recolha de informação sobre a cultura do sabugueiro em Portugal.


Sumário do plano de ação:

O SambucusValor visa o desenvolvimento de produtos alimentares de valor acrescentado partir do sabugueiro, com vista a aumentar a sua penetração nos mercados. A gestão e valorização da cultura de sabugueiro com base na criação de indicadores de qualidade e de estratégias de produção e transformação sustentáveis, nomeadamente por integração de competências e recursos instalados nas entidades parceiras e que, deverá conduzir à criação de um centro piloto potenciador deste desenvolvimento.

Este centro deverá constituir um núcleo de partilha de conhecimento e de inovação em toda a cadeia de valor do sabugueiro. A visão holística deste GO tenderá a fomentar a inovação ao nível da produção de novos produtos saudáveis e naturais, do processo, por combinação, de forma diferenciadora, de processos convencionais, e da comunicação e marketing, com especial enfoque na criação de uma relação reforçada com o consumidor, baseada no conhecimento sobre a origem, ciclo de produção e valor nutricional.


Pontos de situação / Resultados:

Irá realizar-se a Cerimónia de Apresentação Pública do projeto SambucusValor - Valorização integrada do sabugueiro em função dos padrões de consumo saudável: da planta à criação de novos produtos alimentares de valor acrescentado, que terá lugar no próximo dia 28 de julho em Tarouca.