Inovação para a Agricultura

FacebookTwitterGoogle BookmarksRSS Feed
PT EN
  • S5
  • S2
  • S7
  • S12
  • S14
  • S11
  • Inovação na Agricultura
  • S13
  • S3
  • S6
  • S8

SambucusValor - Valorização integrada do sabugueiro em função dos padrões de consumo saudável: da planta à criação de novos produtos alimentares de valor acrescentado.

Entidade líder do projeto: INOVTERRA, ASSOCIAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO LOCAL
Responsável pelo projeto: InovTerra Local
Site do projeto: http://www.sambucusvalor.com
Área do plano de ação: Frutas e produtos hortícolas
Parceiros:

ALBERTO LUIS BRANCO MIRANDA DE CARVALHO NETO; INOVFOOD , UNIPESSOAL LDA; INSTITUTO NACIONAL DE INVESTIGAÇÃO AGRÁRIA E VETERINÁRIA IP; OLDLAND, UNIPESSOAL LDA.; PUBLINDUSTRIA PRODUÇÃO DE COMUNICAÇÃO LDA; UNIVERSIDADE DE AVEIRO


Prioridade do FEADER: P3A) aumento da competitividade dos produtores primários mediante a sua melhor integração na cadeia agroalimentar através de regimes de qualidade, do acrescento de valor aos produtos agrícolas, da promoção em mercados locais e circuitos de abastecimento curtos, dos agrupamentos e organizações de produtores e das organizações interprofissionais;
Identificação do problema ou oportunidade que se propõe abordar:

A indústria agroalimentar é considerada um setor chave na União Europeia, e em Portugal representa 16% do volume de negócios do total da indústria [1,2]. Tem-se verificado que, especialmente na última década, as indústrias portuguesas deste setor perceberam que a inovação e o desenvolvimento de novos produtos são requisitos básicos para a sua sustentabilidade e competitividade, nos mercados interno e externo. A atitude do consumidor, imposições legais, apoio financeiro à inovação e os desenvolvimentos no sistema tecnológico Português, estão entre os fatores que têm catalisado a inovação e desenvolvimento neste setor.

Nos últimos anos, tem-se observado a criação de produtos genuinamente portugueses, muito competitivos no mercado, o que tem contribuído para aumentar a confiança dos consumidores e a imagem dos produtos portugueses em vários mercados. O desenvolvimento de vários produtos de qualidade premium deve-se também às características dos produtos agrícolas portugueses, como resultado da combinação de variedades com características muito interessantes sensorialmente, assim como o clima e modernização observada no setor agrícola. Na zona do Vale do Varosa e Távora existem culturas de sabugueiro com boa capacidade de adaptação às condições naturais e de cultivo. A flor e a baga podem ser exploradas como uma excecional fonte de matéria-prima para o desenvolvimento de produtos alimentares de valor acrescentado, em linha com as atuais tendências de mercado em que se identifica a procura por produtos saudáveis, naturais, locais, práticos, i.e. que no geral proporcionem bem-estar e prazer. O relatório da Committee on Herbal Medicinal Products (HMPC) da European Medicinis Agency demonstra de forma muito detalhada o uso desde a antiguidade do sabugueiro na medicina tradicional, assim como vários estudos atuais que mostram existir vários efeitos benéficos para a saúde [3]. No entanto, em Portugal a flor é pouco utilizada na elaboração de alimentos, assim como a baga, que normalmente é refrigerada, após colheita, e exportada quase em exclusivo para o Norte da Europa, nomeadamente para a Alemanha e Holanda. Nestes países é usada para a produção de produtos de valor acrescentado. Efetivamente, esta matéria-prima não tem sido devidamente valorizado pelos produtores ou outros agentes económicos portugueses.

O GO SambucusValor identificou aqui uma oportunidade de criação de valor a partir do sabugueiro com base na implementação de uma estratégia integrada e sustentável, criando sinergismos entre uma associação de desenvolvimento local com amplo know-how na cultura do sabugueiro, empresas e entidades I&D com conhecimento consolidado nas áreas chave da gestão e valorização de recursos naturais e biotecnologia alimentar. Foram definidos como objetivos principais o desenvolvimento de novos produtos alimentares com potencial de comercialização e a criação de um centro piloto do sabugueiro a disponibilizar aos produtores de sabugueiro e que deverá ainda servir como um núcleo futuro de inovação em toda a cadeia de valor do sabugueiro. O plano de ação do GO SambucusValor assenta em todas as fases na forte interação e transferência de conhecimento entre as entidades parceiras.


Objetivos visados:

O GO SambucusValor pretende tirar partido do facto de em Portugal existirem culturas de sabugueiro com boa capacidade de adaptação às condições naturais e de cultivo e que podem funcionar como uma excecional fonte de matéria-prima para o desenvolvimento de produtos alimentares de valor acrescentado, em linha com as atuais tendências de mercado, nomeadamente a valorização de produtos naturais, locais, saudáveis, práticos de consumir, e que confiram prazer e bem-estar. Assim, o GO SambucusValor visa o desenvolvimento de produtos alimentares de valor acrescentado a partir do sabugueiro, com vista a aumentar a sua penetração nos mercados interno e externo. Este GO pretende contribuir para a valorização integrada deste recurso endógeno português com base na criação de indicadores de qualidade e de estratégias de produção e transformação sustentáveis, nomeadamente tirando partido das competências e recursos instalados nas entidades parceiras, e que deverão conduzir à criação de um centro piloto do sabugueiro potenciador deste desenvolvimento. Este centro deverá constituir um núcleo de inovação em toda a cadeia de valor do sabugueiro. É ainda de realçar que a equipa foi desenhada no sentido de criar sinergismos e complementaridades, estimulando os canais adequados de comunicação e de transferência de conhecimentos e tecnologias, aproximando as entidades I&D com os produtores e empresas do setor agroalimentar.

Foram definidos os seguintes objetivos específicos:

a) Definição de indicadores de qualidade da flor e da baga (parâmetros físico-químicos), que relacionam as condições de cultura com a composição da flor e da baga. Esta informação sobre o ciclo de produção da flor e da baga poderá ser útil na rastreabilidade e ainda na construção de uma estratégia inovadora de comunicação com o consumidor.

b) Implementação de processos de estabilização e armazenamento da flor e baga com vista a preservar os seus componentes bioativos num período superior ao de colheita normal dos materiais (cerca de 1 mês), garantindo assim o aprovisionamento contínuo de matérias-primas com rigorosos padrões de qualidade alimentar. Sendo estes produtos sazonais, é fundamental criar condições para incrementar a sua disponibilidade no mercado ao longo do ano, mantendo tanto quanto possível a sua integridade.

c) Conceção e desenvolvimento de novos produtos alimentares, nomeadamente, liofilizados, pós com diferentes granulometrias, concentrados, e prensados secos, tirando partidos das distintas da flor e da baga de sabugueiro.

d) Avaliação nutricional dos produtos a desenvolver. Esta informação é fundamental para a criação de valor acrescentado e relação de confiança com o consumidor.

e) Criação de um website, de redes de disseminação de informação e de rede de parcerias com associações de consumidores, empresas do ramo alimentar e produtores de sabugueiro como forma de divulgação, comunicação e valorização do sabugueiro, a nível nacional e internacional.

f) Criação de um centro piloto do sabugueiro que deverá representar um núcleo de inovação em toda a cadeia de valor do sabugueiro: da planta à criação de novos produtos alimentares de valor acrescentado. Numa fase de pré-projeto está planificada a recolha de informação sobre a cultura do sabugueiro em Portugal.


Sumário do plano de ação:

O SambucusValor visa o desenvolvimento de produtos alimentares de valor acrescentado partir do sabugueiro, com vista a aumentar a sua penetração nos mercados. A gestão e valorização da cultura de sabugueiro com base na criação de indicadores de qualidade e de estratégias de produção e transformação sustentáveis, nomeadamente por integração de competências e recursos instalados nas entidades parceiras e que, deverá conduzir à criação de um centro piloto potenciador deste desenvolvimento.

Este centro deverá constituir um núcleo de partilha de conhecimento e de inovação em toda a cadeia de valor do sabugueiro. A visão holística deste GO tenderá a fomentar a inovação ao nível da produção de novos produtos saudáveis e naturais, do processo, por combinação, de forma diferenciadora, de processos convencionais, e da comunicação e marketing, com especial enfoque na criação de uma relação reforçada com o consumidor, baseada no conhecimento sobre a origem, ciclo de produção e valor nutricional.


Pontos de situação / Resultados:

Dia Aberto SAMBUCUSVALOR - 17 de maio de 2019

A INOVTERRA – Associação para o Desenvolvimento Local, juntamente com todos os parceiros do Grupo Operacional SambucusValor irá realizar no próximo dia 17 de maio de 2019 ao primeiro Dia Aberto SAMBUCUSVALOR. No seguimento do trabalho que vem sendo desenvolvido no Projeto, irão realizar-se, no período da manhã e tarde, visitas aos campos de sabugueiros, bem como prova de produtos de flor de sabugueiro. 

Realizou-se no dia 28 de julho em Tarouca a Cerimónia de Apresentação Pública do projeto SambucusValor - Valorização integrada do sabugueiro em função dos padrões de consumo saudável: da planta à criação de novos produtos alimentares de valor acrescentado.

Nova ação de divulgação do GO no passado dia 25 de janeiro de 2019.