Inovação para a Agricultura

FacebookTwitterGoogle BookmarksRSS Feed
PT EN
  • S13
  • S8
  • S7
  • S12
  • S6
  • S14
  • S2
  • S5
  • Inovação na Agricultura
  • S3
  • S11

I9Kiwi - Desenvolvimento de estratégias que visem a sustentabilidade da fileira do kiwi através da criação de um produto de valor acrescentado

Entidade líder do projeto: INSTITUTO PEDRO NUNES - ASSOC. INOV. DESENV. CIENCIA E TECNOLOGIA
Responsável pelo projeto: Joana Costa (​Diretora do FitoLab - Laboratório de Fitossanidade do Instituto Pedro Nunes - jcdcosta@ipn.pt)
Site do projeto: https://i9kiwi.pt/
Área do plano de ação: Cultura de frutos tropicais e subtropicais
Parceiros:

ACTIGLABRO, LDA; APK - ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE KIWICULTORES; FRUVERG, LDA ; KIWI 1000 LDA; KIWI DOURO, LDA; KIWI GREENSUN- CONSERVAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE FRUTA, S.A.; KIWICOOP,COOPERATIVA FRUTICOLA DA BAIRRADA CRL; PMNI, UNIPESSOAL LDA; UNIVERSIDADE DE COIMBRA


Prioridade do FEADER: P4) Restaurar, preservar e melhorar os ecossistemas ligados à agricultura e à silvicultura;
Identificação do problema ou oportunidade que se propõe abordar:

A produção de kiwi (Actinidia sp.) é uma importante atividade económica em diversos países, tendo apresentado uma expansão mundial nos últimos anos. Em Portugal, foi a partir da década de 1990 que a produção de kiwi se começou a desenvolver graças ao valor comercial da fruta associado ao baixo custo de produção. Os investimentos têm aumentado nos últimos anos, traduzindo-se num aumento notável da exportação, tendo sido atingido o valor máximo de 13 kton em 2013, equivalendo a 11 M€. Embora se continuem a verificar fortes investimentos, tendo a área de produção aumentado em 1/3 nos últimos 2 anos, a produtividade tem diminuído -14,8% face a 2013 sendo a infeção pela bactéria Pseudomonas syringae pv. actinidiae (Psa) o principal responsável. A Psa é o agente causal do cancro bacteriano da actinídea, considerada a doença mais grave desta cultura. Pode, em casos mais virulentos, causar a morte das plantas, colocando em causa a sustentabilidade da Fileira e provocando importantes prejuízos económicos nos principais países produtores de kiwi, incluindo Portugal (EPPO, 2011/054).

Esta doença, detetada em Portugal em 2010, manifesta elevada agressividade e uma dispersão muito rápida, tendo, nos dias de hoje, distribuição generalizada nas regiões produtoras. A nível mundial, a indústria ligada ao setor do kiwi está empenhada no desenvolvimento de estratégias de controlo da doença para conter a pandemia e minimizar as perdas económicas dos produtores, mas sem resultados positivos. Dados recentes sugerem que a população de Psa não é homogénea existindo diversos níveis de virulência. É reconhecido que a distribuição desta bactéria é influenciada quer por condições edafo-climáticas, quer pela suscetibilidade do cultivar quer pelas práticas culturais adotadas. É também possível que os sintomas associados à infeção por Psa possam ser causados por outras estirpes de Pseudomonas presentes e que não causam a morte da planta. De fato, dados preliminares (FitoLab-IPN) evidenciam uma alteração profunda das comunidades microbianas naturalmente presentes na actinídea como resultado da infeção por Psa. Neste contexto, importa adotar medidas assentes em novos produtos, práticas, processos e tecnologias inovadores de combate a esta doença recente para a qual ainda não existe um sistema implementado eficaz e que condiciona de forma decisiva o rendimento deste sector produtivo.


Objetivos visados:

O I9K integra a 1ª prioridade na temática do plano de ação e pretende melhorar a competitividade do país, através de diversas tipologias de inovação, nomeadamente inovação de produtos e processos, incidindo exclusivamente em atividades de produção primária no sector do kiwi, fileira fortemente dinâmica e que tem sido alvo de um elevado investimento nos últimos anos. O I9K reúne as competências necessárias para suprir lacunas evidentes no setor fitossanitário e na qualidade e diversidade de cultivares e do pólen, associadas a elevados custos de produção.

Como objetivos estratégicos:

a) Pretende-se que produtores, viveiristas e técnicos adoptem estratégias sustentáveis de minimização do risco de dispersão de Psa e mitigação dos seus efeitos através da implementação um novo processo que vai integrar o sistema de produção e contempla: adequação dos cultivares ao contexto edafo-climático; utilização de cultivares menos suscetíveis à Psa; estratégias de gestão dos reservatórios naturais de Psa; tratamento do pólen contra a Psa; ajuste das práticas agrícolas ao risco real de ocorrência de doença determinado com base na estrutura da infeção e nas condições edafo-climáticas das regiões produtoras através de um softaware com um sistema de alertas.

b) Pretende-se ainda que produtores, técnicos e viveiristas implementem estratégias sustentáveis de prevenção, mitigação e controlo de Psa através da utilização de novos produtos que irão integrar o sistema de produção: consórcios bacterianos com ação antagonista à Psa e consórcios bacterianos com ação ativadora da saúde da planta.

c) Pretende-se que produtores, viveiristas e técnicos implementem um novo processo inovador com tecnologia relacionada com o aumento da produtividade e que irá integrar o sistema de produção: utilização de cultivares produtores de pólen com elevada viabilidade associada a um método mais eficaz de conservação e aplicação de pólen.

d) Pretende-se, através da realização de ações de divulgação, disseminação e demonstração dos resultados gerados pelo I9K, sensibilizar e fomentar o crescimento da massa crítica e aconselhamento técnico visando a integração dos processos e produtos desenvolvidos na produção primária de fruta e plantas.

Estas ações têm como público-alvo os grupos focais identificados: produtores, viveiristas e técnicos (ações de demostração, colóquios, reuniões), públicos especializados e específicos (artigos técnicos e científicos, participação em congressos e seminários com apresentação de resultados), bem como o público em geral (página web dedicada ao projeto e disseminação através da RedeRural e parceiros).

São objetivos específicos do I9K:

- Caraterizar as zonas produtoras com base em sistemas de monitorização de fatores abióticos (sensores) e bióticos (polinizadores e outros insetos);

- Identificar as práticas agrícolas utilizadas avaliando a sua eficácia;

- Caraterizar a infeção por Psa nas principais regiões produtoras, combinando informação genética com sintomas, persistência, virulência e perdas na produção;

- Identificar potenciais reservatórios ambientais de Psa, nomeadamente plantas hospedeiras, reservatórios de água e persistência no solo de modo a otimizar as estratégias de gestão, mitigação e controlo da Psa;

- Identificar os organismos responsáveis por sintomas de doença nos frutos a otimizar as estratégias de gestão e mitigação dos organismos patogénicos;

- Avaliar a eficácia da utilização de antagonistas contra a infeção por Psa isolados em pomares saudáveis. Selecionar o(s) mais eficaz(es). Avaliar o seu potêncial comercial e de internacionalização.

- Avaliar o uso de ativadores contra a infeção por Psa. Selecionar o(s) mais eficaz(es). Avaliar o seu potêncial comercial e de internacionalização. Neste âmbito o I9K estabeleceu um protocolo de cooperação transnacional com o Institute for Sustainable Agriculture‐CSIC, Córdoba, Espanha dada a sua reconhecida experiência e competências.

- Identificar in situ machos produtores de pólen de qualidade e relacioná-los com a sua suscetibilidade à Psa. Selecionar o(s) mais eficaz(es). Avaliar o seu potêncial comercial e de internacionalização. - Identificar metodologias de aplicação de pólen mais eficazes.Neste âmbito o I9K estabeleceu um protocolo de cooperação transnacional com uma PME lider em tecnologias de aplicação de pólen com o intuito de identificar e adequar quais das tecnologias existentes mais se adequem ao contexto nacional.

- Identificação multifatorial in situ de cultivares de actinídea como parte das soluções integradas para a gestão e controlo da Psa. Nomeadamente, suscetibilidade à infeção por Psa, adaptação às condições edafo-climáticas do local de produção e produtividade. A localização das plantas identificadas será acessível a todos os interessados. Avaliar o seu potêncial comercial e de internacionalização.

- Elaboração de um Manual Técnico de medidas preventivas e de controlo contra os principais problemas fitossanitários da Actínia associadas ao contexto nacional.

- Divulgação dos resultados da iniciativa (processos e produtos) aos grupos focais de divulgação, público especializado e público em geral.


Sumário do plano de ação:

O I9K pretende responder aos desafios da Fileira do Kiwi através da criação de um grupo de excelência que adotará estratégias inovadoras e práticas agrícolas geradoras de maior produtividade, potenciando a competitividade do setor em novos mercados.


Pontos de situação / Resultados:

O​ grupo operacional i9K vai estar no dia 09/03/2018 na Frutitec2018, participando no seminário "Inovação em espaço rural", organizado pela APK e COTHN.

O i9K vai apresentar uma comunicação intitulada "i9K - Desenvolvimento de estratégias que visem a sustentabilidade da fileira do kiwi através da criação de um produto de valor acrescentado".