Inovação para a Agricultura

pten
Rede Rural Nacional - Página do FacebookRede Rural Nacional - Página do TwitterRede Rural Nacional - Página do InstagramRede Rural Nacional - Canal do Youtube

 

                                        Rede Rural Nacional       PDR 2020       Portugal 2020       FEADR

S1.png
S2.png
S3.png
S5.png
S6.png
S7.png
S8.png
S9.png
S10.png
S11.png
S12.png
S13.png
S14.png
S16.png
previous arrow
next arrow

Projetos Alterações Climáticas - RIAAC-AGRI (PDR2020 - Assistência técnica RRN - Área 4)

Pesquisar projectos

Área plano de acção

Fonte de financiamento

Rede de impacto e adaptação às alterações climáticas no território nacional, nos sectores agrícola, agroalimentar e florestal

Entidade líder do projeto: ANPROMIS
Responsável pelo projeto: Tiago Silva Pinto
Parceiros:

Instituto Superior de Agronomia (ISA, Ulisboa); União da Floresta Mediterrânica (UNAC); Centro Operativo e de Tecnologia de Regadio (COTR); Federação Nacional das Organizações de Produtores de Frutas e Hortícolas (FNOP)

Data de início do projeto: 01-01-2018
Data de fim do projeto: 31-12-2020

Fonte de financiamento : PDR 2020
Identificação do problema ou oportunidade que se propõe abordar:

As alterações climáticas são identificadas como “uma das maiores ameaças ambientais, sociais e económicas que o planeta e a humanidade enfrentam”, tal como reafirmado na RCM nº 24/2010, de 1 de abril, que aprovou a Estratégia Nacional de Adaptação às Alterações Climáticas (ENAAC). Constituem, por isso, um dos principais desafios para o desenvolvimento da humanidade, havendo um consenso alargado sobre a necessidade de adotar estratégias que facilitem a adaptação da sociedade às novas condições do clima.

A agricultura, o setor agroalimentar e as florestas em Portugal são particularmente vulneráveis às alterações climáticas, tendo uma dupla premência na necessidade em estabelecer um trajeto para fazer face ao desafio que estas alterações impõem: por um lado, são atividades biológicas fortemente dependentes das condições climáticas; por outro, as projeções científicas para a região mediterrânica apontam para alterações do clima com efeitos muito nefastos na produção vegetal e animal. De facto, a região mediterrânica é uma das que se prevê serem mais afetadas, tal como reconhecido pela Comissão Europeia.Como resposta à necessidade de preparar o País para fazer face ao impacto crescente das alterações do clima, e à necessidade de promover medidas de adaptação a estas alterações, o Governo Português aprovou, em 2010, a Estratégia Nacional de Adaptação às Alterações Climáticas - ENAAC.


Objetivos visados:

O projeto RIAAC-AGRI pretende transferir boas práticas e novos conhecimentos para qualificar as empresas e a intervenção dos agentes de desenvolvimento rural no que respeita à adaptação às alterações climáticas, recolhendo de forma exaustiva informação científica existente nesta área, através da consulta de projetos de investigação e artigos científicos. A informação recolhida será compilada e tratada, e posteriormente divulgada junto do sector agrícola, agroalimentar e florestal, em formatos clara e facilmente assimiláveis pelos diferentes agentes dos setores identificados. O objetivo do projeto vai, assim, claramente ao encontro da área de Intervenção 4 da Rede Rural Nacional - Observação da agricultura e dos territórios rurais.

Por outro lado, é ainda objetivo desta candidatura efetuar um levantamento exaustivo das necessidades de inovação existentes nesta área de forma a podermos ir de encontro às reais necessidades do sector agrícola, agroalimentar e florestal, numa área tão sensível como é a problemática das alterações climáticas.

Sem prejuízo de outras prioridades que sejam acordadas no decorrer dos trabalhos, esta candidatura irá:

I. Fazer um levantamento exaustivo da informação científica existente nesta área, através da consulta de projetos de investigação, artigos científicos, papers;

II. Disponibilizar na plataforma do GPP a informação recolhida, que centralize informações, progressos e a interação de atores no âmbito da adaptação às alterações climáticas em Portugal, levando em linha de conta a possível ligação a plataformas congéneres na União Europeia;

III. Adotar planos de comunicação tendo em vista a sensibilização do sector agrícola, agroalimentar e florestal em relação às alterações climáticas, desenvolvendo diversos conteúdos de promoção e disseminação de resultados (manual de recomendações, catálogos de projetos de referência, vídeo temático, folhetos) de fácil compreensão pelos interessados.


Sumário do plano de ação:

Transferência boas práticas e novos conhecimentos para qualificar as empresas e a intervenção dos agentes de desenvolvimento rural no que respeita à adaptação às alterações climáticas, recolhendo de forma exaustiva informação científica existente nesta área, através da consulta de projetos de investigação e artigos científicos.


Pontos de situação / Resultados:

Os resultados preliminares do projeto incluem:

•Criação de uma base de dados com projetos relacionados com a temática das alterações climáticas, com especial incidência nas fileiras do regadio, milho, sorgo, tomate de indústria e floresta, contendo, atualmente, 196 projetos, e está disponível em: https://inovacao.rederural.gov.pt/projetos/alteracoes-climaticas

•Criação de uma base de dados com artigos científicos relacionados com a temática das alterações climáticas, focada, novamente, nas mesmas culturas e sectores, contendo, atualmente 298 artigos, e disponível em: http://www.rederural.gov.pt/centro-de-recursos/category/16-riaac

• Divulgação dos resultados do projeto em conferências internacionais.

• Divulgação dos resultados do projeto através da elaboração de catálogos contendo os principais projetos identificados para os setores do regadio, milho, sorgo, tomate de indústria e floresta.

• Pretende-se ainda elaborar reuniões com stakeholders de cada fileira para analisar a informação selecionada e produzir recomendações de boas práticas na adaptação às alterações climáticas.

• Elaboração de documentos (brochuras) que sintetizem as recomendações de boas práticas identificadas para cada setor.

• Webinar “Alterações Climáticas: que desafios para o sector agroflorestal nacional?", 18 Dezembro 2020. Programa