Inovação para a Agricultura

FacebookTwitterGoogle BookmarksRSS Feed
PT EN
  • S11
  • S12
  • S7
  • S5
  • S3
  • S6
  • S8
  • S13
  • S2
  • Inovação na Agricultura
  • S14

Projetos Alterações Climáticas - RIAAC-AGRI (PDR2020 - Assistência técnica RRN - Área 4)

Pesquisar projectos

Área plano de acção

Fonte de financiamento

As alterações climáticas e os ecossistemas mediterrânicos - efeitos da variabilidade na precipitação nas comunidades da sub-bosque do montado

Entidade líder do projeto: INSTITUTO SUPERIOR DE AGRONOMIA
Responsável pelo projeto: João Manuel Dias Santos Pereira
Site do projeto: https://www.isa.ulisboa.pt/
Parceiros:

_

Data de início do projeto: 01-01-2009
Data de fim do projeto: 31-12-2012

Fonte de financiamento : FCT
Identificação do problema ou oportunidade que se propõe abordar:

Cenários futuros de alterações climáticas para a região do Mediterrâneo prevêem uma crescente variabilidade de precipitação. Neste projeto investigou-se os efeitos da manipulação da periodicidade e quantidade de chuva na componente herbácea das florestas de sobreiro, especialmente no que diz respeito ao impacto na produtividade e biodiversidade.

Descritores: Sobreiro; Montado; Alterações Climáticas


Objetivos visados:

Os objetivos do projeto foram:

(1) produtividade primária, produção líquida de ecossistemas, composição de espécies e abundância relativa de grupos funcionais de plantas, pois são fundamentais para a compreensão do papel da biodiversidade de plantas no funcionamento dos ecossistemas;

(2) variabilidade sazonal dos fluxos de carbono, incluindo fotossíntese e respiração, e tendências de longo prazo para a acumulação de carbono no solo;

(3) fluxos de azoto, uma vez que mudanças na média e na variabilidade do clima podem levar a pulsos na disponibilidade de água e azoto em diferentes momentos durante a estação de crescimento.



Pontos de situação / Resultados:

Investigámos o impacto das mudanças na periodicidade da precipitação, sem alterar a quantidade total de precipitação, sobre o componente herbáceo das florestas de sobro. Produtividade (produtividade primária líquida e aérea) do sub-bosque herbáceo não foi afetada pelo aumento do período seco para 3 ou 6 semanas. Nenhuma mudança significativa foi observada na composição de espécies, embora as leguminosas parecessem ser mais sensíveis a um aumento na variabilidade da precipitação.No decorrer da estação de crescimento, os fluxos de carbono (fotossíntese e respiração) e a disponibilidade de azoto no solo não foram significativamente afetados por mudanças na variabilidade da precipitação. No entanto, as flutuações no conteúdo de água no solo resultaram em mudanças temporárias na disponibilidade de azoto e respiração do solo. Grandes e menos frequentes eventos de precipitação aumentaram a lixiviação de azoto para camadas mais profundas do solo. Como o componente arbóreo do nosso ecossistema, Q. suber, possui um sistema radicular extenso que permite a aquisição de água a partir de camadas mais profundas do solo, isso pode ser benéfico para esta espécie.