Inovação para a Agricultura

FacebookTwitterGoogle BookmarksRSS Feed
PT EN
  • S6
  • S5
  • S11
  • S3
  • S7
  • S13
  • S12
  • S8
  • Inovação na Agricultura
  • S14
  • S2

Projetos Alterações Climáticas - RIAAC-AGRI (PDR2020 - Assistência técnica RRN - Área 4)

Pesquisar projectos

Área plano de acção

Fonte de financiamento

LIFE+AGRICARBON - Agricultura sustentável na aritmética de carbono

Entidade líder do projeto: Asociación Española Agricultura de Conservación / Suelos Vivos
Responsável pelo projeto: Emilio Jesús Sánchez
Site do projeto: http://www.agricarbon.eu/
Parceiros:

Instituto Andaluz de Investigación y Formación Agraria, Pesquera, Alimentaria y de la Producción Ecológica; Universidad de Córdoba;  European Conservation Agriculture Federation

Data de início do projeto: 01-01-2010
Data de fim do projeto: 31-12-2014

Fonte de financiamento : LIFE
Identificação do problema ou oportunidade que se propõe abordar:

As emissões de dióxido de carbono na agricultura vêm principalmente da lavoura, o que causa perda de carbono no solo. A agricultura de conservação (CA) pode desempenhar um papel significativo como fornecedor de sumidouros de carbono para combater as emissões.

A Agricultura de Precisão (PA) também pode ajudar a mitigar os impactos negativos das mudanças climáticas, determinando o uso otimizado de adubação, consumos e trabalho em áreas específicas. Essas técnicas agrícolas sustentáveis, no entanto, permanecem incomuns em Espanha devido à falta de consciencialização dos agricultores.

Descritores: Gases com efeito de estufa; Alterações Climáticas; agricultura de conservação; culturas de sequeiro


Objetivos visados:

Este projeto teve como objetivo incentivar o estabelecimento progressivo de técnicas agrícolas sustentáveis (CA e PA) - contribuindo para a redução de emissões de GEE e a adaptação de técnicas agrícolas - às novas condições climáticas resultantes do aquecimento global.

Além disso, o projeto visa proporcionar às autoridades europeias e nacionais o conhecimento e a informação necessárias sobre estas técnicas para incentivar a adoção de políticas ambientais nesta área. As ações do projeto foram realizadas em três campo de demonstração, para obtenção de dados para apoiar as técnicas e para atuar como locais de demonstração.

O projeto avaliou as emissões de CO2 e o consumo de energia em explorações agrícolas com base em: características climáticas, tipo de cultura e tipo de lavoura.



Pontos de situação / Resultados:

O projeto Life + Agricarbon demonstrou os múltiplos benefícios ambientais, climáticos e económicos da Agricultura de Precisão e Conservação. Estas técnicas podem contribuir para a mitigação da mudança climática e para a adaptação de culturas de sequeiro (cereais, leguminosas) aos efeitos do aquecimento global nos ecossistemas agrícolas. O projeto criou uma rede de campos experimentais no Vale do Guadalquivir (Espanha). Agricultura de Conservação e Agricultura de Precisão foram realizadas nestes campos através de uma rotação de culturas de sequeiro que são típicas da região, como cereais, derivados de petróleo e leguminosas. Reduções subsequentes nas emissões de gases de efeito estufa e aumentos no efeito do sumidouro de carbono foram monitorizadas de modo a verificar o seu potencial de mitigação. 

Após cinco anos de implementação do projeto, a implementação de CA e PA nas parcelas de demonstração resultou numa redução média de emissões anuais de 111,5 kg de CO2/ha . Esta redução é devida a uma redução no consumo de energia, minimizando a preparação do solo e a otimização do uso de recursos, reduzindo as sobreposições e realizando a aplicação específica do local. Além disso, essas parcelas registaram um aumento médio no sequestro de carbono de 7,2 toneladas adicionais de CO2 por hectare a cada ano usando CA e PA em vez de de processos convencionais.

No geral, em comparação com áreas que usaram técnicas agrícolas convencionais, ao longo de quatro temporadas agrícolas nas três explorações de demonstração, as áreas combinadas usadas para o cultivo usando CA e PA fixaram 1.296 toneladas a mais de CO2 e emitiram 20 toneladas a menos de CO2 na atmosfera. Isto representa uma diminuição de 19% nas emissões de CO2 e um aumento médio na fixação de carbono na atmosfera de 30% (o mais alto foi de 56%).Além disso, o projeto demonstrou que as técnicas podem ser rentáveis ​​para os agricultores, proporcionando economias substanciais nos custos (9,5% para o trigo, 21,6% para girassóis e 15,4% nas leguminosas) e reduzindo também o número de horas necessárias para efectuar uma lavoura.

Mais informações: http://www.agricarbon.eu/layman%20ingls.pdf