Inovação para a Agricultura

FacebookTwitterGoogle BookmarksRSS Feed
PT EN
  • S6
  • S11
  • S8
  • S12
  • S13
  • S3
  • S5
  • Inovação na Agricultura
  • S7
  • S14
  • S2

Projetos Alterações Climáticas - RIAAC-AGRI (PDR2020 - Assistência técnica RRN - Área 4)

Pesquisar projectos

Área plano de acção

Fonte de financiamento

LIFE HelpSoil - Melhorar funções do solo e adaptação às mudanças climáticas por meio de técnicas sustentáveis ​​de agricultura de conservação

Entidade líder do projeto: Regione Lombardia - DG Agricoltura
Responsável pelo projeto: Luca Zucchelli
Site do projeto: http://www.lifehelpsoil.eu/en/
Parceiros:

Centro Ricerche Produzioni Animali-CRPA S.p.A;  ERSAF; Regione Emilia Romagna-DG Agricoltura, Economia Ittica, Attività Faunistico-Venatorie; Regione Autonoma Friuli Venezia Giulia–Direzione centrale risorse rurali, agroalimentari e forestali, Italy Regione Piemonte-DG Agricoltura; Regione del Veneto-Direzione Agroambiente Veneto Agricoltura

Data de início do projeto: 01-01-2013
Data de fim do projeto: 31-12-2017

Fonte de financiamento : LIFE
Identificação do problema ou oportunidade que se propõe abordar:

Na planície do rio Po, o stock de carbono orgânico armazenado nos solos varia de 34 a 60 toneladas por hectare (t / ha). O potencial de absorção adicional, se os solos forem geridos adequadamente, é estimado em pelo menos 12,8 t / ha de CO2 equivalente. Além disso, o aumento do conteúdo orgânico do solo melhora suas qualidades físicas e químicas, levando a maior fertilidade e melhor absorção de nutrientes. Isso ajuda a garantir que as culturas resistam ao stress ambiental, reduz a erosão e a suscetibilidade do solo à compactação, melhora a capacidade dos solos de agir como um filtro e amortecedor contra os poluentes e aumenta a biodiversidade do solo. Uma melhor gestão o do solo pode, portanto, contribuir significativamente para aumentar a resiliência dos ecossistemas terrestres às alterações climáticas.

Descritores: Gestão do solo; Alterações Climáticas; Regadio; Fertilização; práticas de conservação do solo


Objetivos visados:

O objetivo do projeto LIFE HelpSoil era testar soluções inovadoras e demonstrar práticas de gestão do solo para melhorar a qualidade do solo, de modo a tornar os sistemas agrícolas mais resilientes às alterações climáticas. O projeto abrangeu toda a planície do Pó (cerca de 46 000 km2) e o sopé dos Alpes e dos Apeninos.

Os objetivos específicos do projeto incluem:

(1) Implementar práticas para melhorar o sequestro de carbono orgânico do solo, a fertilidade do solo e a biodiversidade, e proteger contra a erosão em várias explorações agrícolas, com o objetivo de aumentar a sustentabilidade agrícola e a competitividade;

(2) Integrar práticas de conservação e técnicas inovadoras, a fim de aumentar a eficiência da rega, melhorar a eficiência de fertilizantes, o estrume de gado em particular e limitar o uso de pesticidas;

(3) Desenvolver indicadores das funções do ecossistema do solo e novas técnicas para avaliar os benefícios ambientais das práticas testadas pelo projeto.



Pontos de situação / Resultados:

O projeto LIFE HelpSoil implementou e testou práticas de conservação do solo em 20 campos experimentais na planície de Po, no norte da Itália, durante três rotações. Os resultados mostraram que essas práticas melhoraram as funções do solo e, por serem técnicas agrícolas sustentáveis, apoiaram a adaptação às alterações climáticas. As práticas melhoraram as características do solo, incluindo o conteúdo de carbono orgânico e a fertilidade biológica, e levaram a um uso mais eficiente da água de rega, fertilizantes e pesticidas nas parcelas experimentais.O projeto LIFE HelpSoil implementou e testou práticas de conservação do solo em 20 campos experimentais na planície de Po, no norte da Itália, durante três rotações.

Os resultados mostraram que essas práticas melhoraram as funções do solo e, por serem técnicas agrícolas sustentáveis, apoiaram a adaptação às alterações climáticas. As práticas melhoraram as características do solo, incluindo o conteúdo de carbono orgânico e a fertilidade biológica, e levaram a um uso mais eficiente da água de rega, fertilizantes e pesticidas nas parcelas experimentais.

O projeto integrou técnicas inovadoras e melhores práticas para conservação do solo e controle da erosão (por exemplo, sementeira direta, plantação direta e culturas de cobertura); redução do consumo de água durante a rega (por exemplo, rega gota-a-gota, fertirega e rega subsuperficial); novas técnicas de fertilização utilizando estrume animal (por exemplo, sistemas de distribuição subterrânea); e práticas inovadoras para o controle de doenças de plantas (por exemplo, usando fertilizantes naturais para incentivar microrganismos na rizosfera).

Os resultados mostraram: aumento do teor de carbono orgânico (0,02-0,76 t / ha / ano) nas camadas superficiais dos solos, melhoria da atividade biológica e da biodiversidade do solo. A mitigação das alterações climáticas foi apoiada como resultado das práticas, através do aumento do sequestro de CO2 nos solos (0,36-0,5 t / ha), diminuindo o consumo de combustível fóssil para o trabalho agrícola, como a aragem e redução de gases de efeito estufa e emissões de azoto dos solos. A redução do consumo de energia, na faixa de 15 a 55%, também representa redução de custos devido ao uso reduzido de combustível, fertilizantes, herbicidas, água e outros insumos, como sementes e compostos.