Inovação para a Agricultura

FacebookTwitterGoogle BookmarksRSS Feed
PT EN
  • S13
  • S8
  • S3
  • S7
  • S14
  • S12
  • S2
  • S6
  • S5
  • S11
  • S10

Projetos Alterações Climáticas - RIAAC-AGRI (PDR2020 - Assistência técnica RRN - Área 4)

Pesquisar projectos

Área plano de acção

Fonte de financiamento

ChangeTracker - Monitorizar as alterações climáticas em zonas áridas com base em indicadores ecológicos

Entidade líder do projeto: Centro de Ecologia, Evolução e Alterações Ambientais, Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa
Responsável pelo projeto: Cristina Branquinho
Site do projeto: http://ce3c.ciencias.ulisboa.pt/research/projects/ver.php?id=66
Parceiros:

Institute of Botany, Academy of Sciences of the Czech Republic; School of Biology, University of St Andrews; Universidad Rey Juan Carlos, Madrid; Universidade Federal do Vale de São Francisco; Institute of Botany, Academy of Sciences of the Czech Republic; School of Biology, University of St Andrews; Universidad Rey Juan Carlos, Madrid; Universidade Federal do Vale de São Francisco;  Università degli Studi di Genova

Data de início do projeto: 01-01-2016
Data de fim do projeto: 31-12-2018

Fonte de financiamento : FCT
Identificação do problema ou oportunidade que se propõe abordar:

Existe uma preocupação crescente com os potenciais impactos das alterações climáticas e das atividades humanas sobre a estrutura e o funcionamento dos ecossistemas terrestres, especificamente sobre os padrões de diversidade que afetarão diretamente a provisão de serviços ecossistémicos para os seres humanos. Devido à sua complexidade, os ecossistemas podem apresentar uma aparente resiliência sob forças externas até que um limiar interno seja atravessado e o ecossistema sofra uma mudança grande e abrupta. A pressão combinada da alteração climática e da presença humana pode desencadear essas transições, ao longo do tempo, como já foi visto em terras áridas. Estas são áreas com recursos hídricos ocupadas por 38% da população mundial e espera-se que sua suscetibilidade à degradação da terra e à desertificação aumentem. Por essa razão estes ecossistemas são bons sistemas modelo para estudar respostas ecológicas à alteração climática.

Descritores: desertificação; Ecossistemas; Alterações Climáticas; Montado; NDVI; biocrosta


Objetivos visados:

Esta proposta visa desenvolver um indicador global capaz de rastrear os efeitos das mudanças climáticas nas terras áridas. Propomos selecionar os indicadores ecológicos (EI) mais apropriados com base na diversidade funcional usando dois locais de terra seca em diferentes continentes (América do Sul e Sul da Europa), para explorar semelhanças e diferenças entre eles.

A Caatinga é um bioma exclusivamente brasileiro, ocupando cerca de 11% do território nacional. No sul da Europa, um dos ecossistemas de terras secas mais importantes é o montado em Portugal



Pontos de situação / Resultados:

(1) O NDVI da estação seca foi relacionado positivamente com as mudanças na cobertura da copa das árvores, tanto no espaço como no tempo. Portanto, os dados baseados em NDVI podem ser usados em avaliações de grande escala da cobertura da copa da Azinheira. Estes resultados fornecem uma ferramenta importante para melhorar as estratégias de gestão florestal, e. possibilitaram mapear e quantificar o declínio da cobertura florestal e priorizar áreas para o reflorestamento, melhorando assim a prestação de serviços ecossistémicos em sistemas de Azinheira, como a melhoria da produtividade das terras agrícolas e resiliência às alterações climáticas.

(2) Nas atuais condições climáticas, tanto a regeneração de arbustos como o estabelecimento de mudas de árvores foram fortemente promovidos pela exclusão de pastoreio, que tem importantes implicações de gestão para a sustentabilidade a longo prazo dos sistemas de montado.

(3) A maior aridez foi associada a uma diminuição geral na dispersão funcional, particularmente no ciclo de vida, área foliar específica, início de floração, estratégia de dispersão e características de persistência de sementes, provavelmente devido a menor diferenciação de nicho sob condições mais áridas. As mudanças nos meios ponderados pela comunidade e na dispersão funcional devido à aridez poderão, potencialmente, afetar negativamente as principais funções do ecossistema, como a produção de biomassa e o ciclo de nutrientes.

(4) Os traços do tecido biocrostas (líquenes e musgos do solo) surgem como indicadores ecológicos integrativos eficazes em termos de custos dos rios de mudança global nos ecossistemas mediterrânicos, com potenciais aplicações em quadros de traços de efeitos de resposta.