Inovação para a Agricultura

FacebookTwitterGoogle BookmarksRSS Feed
PT EN
  • S13
  • S3
  • Inovação na Agricultura
  • S2
  • S14
  • S6
  • S11
  • S7
  • S8
  • S5
  • S12

Projetos Alterações Climáticas - RIAAC-AGRI (PDR2020 - Assistência técnica RRN - Área 4)

Pesquisar projectos

Área plano de acção

Fonte de financiamento

4F CROPS - Futuras culturas de alimentos, rações, fibras e combustíveis

Entidade líder do projeto: Centre For Renewable Energy Sources and Saving Fondation
Responsável pelo projeto: Nikolaos Karapanagiotis
Site do projeto: http://www.4fcrops.eu/
Parceiros:

Universita Degli Studi di Catania; Agricultural University of Athen; IFEU - Institut Fur Energie Und Umweltforschung Heidelberg Gmbh; Alma Mater Studiorum - Universita d Bologna; Faculdade de Ciencias e Tecnologiada Universidade Nova de Lisboa; Universitatea de Stiinte Agronomice Si Medicina Veterinara Din Bucuresti; Agricultural University of Athens; National Agricultural Research Foundation; Institute for Fuels and Renewable Energy; Stichting Wageningen Research; Instytut Wlokien Naturalnych I Roslin Zielarskich

Data de início do projeto: 01-01-2008
Data de fim do projeto: 31-12-2010

Fonte de financiamento : 7th FRAMEWORK PROGRAMME
Identificação do problema ou oportunidade que se propõe abordar:

As culturas não alimentares são cada vez mais utilizadas como matérias-primas para a produção de biocombustíveis e para fibras, polímeros e produtos farmacêuticos. O seu potencial de rendimento deve ser o mais eficiente possível para minimizar a competição por terra com os setores de alimentos e rações.

Descritores: Culturas não alimentares; biocombustíveis; tendências de uso da terra; Milho; Cereais; Alterações Climáticas; rotação de culturas; culturas de cobertura; plantação direta


Objetivos visados:

O principal objetivo do projeto é o de inspecionar e analisar todos os parâmetros que desempenharão um papel importante em sistemas de culturas não alimentares bem-sucedidas na agricultura da UE-27, paralelamente aos sistemas de culturas alimentares existentes. O trabalho começará (WP1) com a previsão do futuro uso da terra em curto prazo (2020) e longo prazo (2030), levando em consideração fatores restritivos para a agricultura e a procura do mercado por culturas não alimentares. As possibilidades de cultivo (WP2) com base nos níveis de potencial regional, ecologia e clima serão determinadas. Este grupo de culturas não alimentares será então submetido a uma análise comparativa de custos com culturas convencionais (WP3) para o mesmo período de tempo. Impactos socioeconómicos, como o rendimento dos agricultores, o desenvolvimento rural, o desenvolvimento público e a aceitação pública serão analisados. Em seguida, as implicações ambientais serão avaliadas em comparação com os respetivos produtos convencionais (energia fóssil, materiais de conversão) (WP4). Vários impactos ambientais serão avaliados, como a qualidade do solo e a erosão do solo, a qualidade do ar e as mudanças climáticas, questões hídricas, biodiversidade e paisagem, usando os métodos LCA e EIE.



Pontos de situação / Resultados:

Inicialmente, os parceiros estimaram a terra atualmente disponível para o cultivo de culturas não alimentares e avaliaram como essa disponibilidade mudaria nas próximas décadas. A terra mais disponível para agora e para 2020 foi registada em Espanha, enquanto em 2030 foi estimada na Polónia. Considerando 15 culturas selecionadas, as possibilidades de rotação, os rendimentos e as características das matérias-primas, os parceiros do projeto desenvolveram sistemas de cultivo específicos para cada área climática. Além disso, desenvolveram diferentes cenários com base nas zonas climáticas, os tipos de solo e cultura e o nível de entrada. O consórcio analisou a viabilidade económica de culturas não alimentares em muitos países europeus e zonas climáticas diferentes.

A conclusão geral foi que as culturas europeias não alimentares têm um futuro muito promissor, embora atualmente não estejam a ganhar o custo de oportunidade da terra. A 4F CROPS descobriu que as culturas de biocombustíveis precisarão de 25 milhões de hectares de terra até 2020, de acordo com as atuais metas de biocombustíveis na UE. Os investigadores também quantificaram as procuras totais de biomassa da Europa em 2020 e 2030 sob vários cenários diferentes.

No geral, a iniciativa 4F CROPS forneceu uma visão abrangente da situação atual na agricultura de culturas não alimentares, associada a previsões de uso da terra para o futuro. Os sistemas de cultivo propostos beneficiarão os agricultores numa ampla gama de condições climáticas, solo e culturas. A importância da rotação de culturas, no entanto, tem sido reconhecida como um sistema alternativo que pode reduzir a dependência da agricultura de consumos externos através da reciclagem interna de nutrientes, manutenção da produtividade a longo prazo da terra, prevenção de de doenças e pragas associadas à monocultura. Os efeitos benéficos acima mencionados podem ser melhorados através da combinação de rotações de culturas com culturas de cobertura e práticas reduzidas ou de plantação direta. Contudo, os sistemas de rotação exigem melhor gestão e mais conhecimento por parte dos agricultores. Estas barreiras podem ser ainda mais proeminentes no caso de novas culturas energéticas não alimentares promissoras.

Para o caso de portugal propô-se o seguinte sistema de rotação: Trigo – milho – girassol – sorgo – pousio – colza – cereal (trigo, ceveda, centeio – cereal - sorgo