Inovação para a Agricultura

FacebookTwitterGoogle BookmarksRSS Feed
PT EN
  • S6
  • S8
  • Inovação na Agricultura
  • S7
  • S2
  • S13
  • S12
  • S11
  • S3
  • S14
  • S5

Projetos Alterações Climáticas - RIAAC-AGRI (PDR2020 - Assistência técnica RRN - Área 4)

Pesquisar projectos

Área plano de acção

Fonte de financiamento

AGREE - Agricultura e Eficiência Energética

Entidade líder do projeto: Fachagentur Nachwachsende Rohstoffe EV
Responsável pelo projeto: Christina Strasser
Site do projeto: http://www.agree.aua.gr/
Parceiros:

Stichting Wageningen Research; Uniwersytet Warminsko Mazurski W Olsztynie; Agricultural University of Athens Grécia; Leibniz-Institut Fuer Agrartechnik und Biooekonomie EV; Universidade de Évora; Helsingin Yliopisto; Aarhus Universitet

Data de início do projeto: 01-01-2011
Data de fim do projeto: 31-12-2013

Fonte de financiamento : 7th FRAMEWORK PROGRAMME
Identificação do problema ou oportunidade que se propõe abordar:

Atualmente, a eficiência energética na agricultura não é uma prioridade na agenda política e de investigação. As atuais atividades de investigação são fragmentadas do ponto de vista da eficiência energética e requerem cooperação entre institutos nacionais e internacionais, a partir de uma visão e abordagem coerente e coletiva. Uma abordagem sistémica a partir de uma estratégia coerente seria necessária para levar a eficiência energética ao próximo nível.

Descritores: Energia; Gases com efeito de estufa; Regadio; Cereais; Trigo; Olival


Objetivos visados:

O objetivo central do projecto AGRiculture & Energy Efficiency é colocar a eficiência energética na agricultura na agenda da investigação, com base no seu potencial a curto e longo prazo e nos efeitos económicos e ecológicos associados.



Pontos de situação / Resultados:

Nos países do Sul da UE, o consumo total de energia primária em olivais e vinhas contribui significativamente para a utilização total de energia na agricultura. O consumo específico de energia para a produção de azeitona está na faixa de 1,07-1,21 GJ t-1 e para vinhas os valores variam de 0,82 GJ t-1 a 2,49 GJ t-1. Os resultados da análise do uso de energia para os 13 subsetores em questão foram ampliados para o nível nacional. Nos países da UE em causa, os subsetores que mais consomem energia são as vacas leiteiras, o trigo e a produção de suínos.

As explorações com maior consumo energético em Portugal são: - vacas leiteiras, olivais e produção de frangos de carne. O uso de fertilizantes resulta em maior contribuição para os custos, uso de energia e emissões de GEE. Os efeitos económicos relativos do uso de fertilizantes são mais elevados na Alemanha do que em Portugal devido ao maior uso de fertilizantes.Um caso de estudo efetuado para Portugal, considerando a cultura do trigo revelou que o plantação direta reduz a emissão de GEE e consumos energéticos. A rega, neste caso de estudo, aumento os consumos energéticos, embora compensados pelo aumento dos rendimentos.