Inovação para a Agricultura

FacebookTwitterGoogle BookmarksRSS Feed
PT EN
  • Inovação na Agricultura
  • S8
  • S13
  • S5
  • S12
  • S3
  • S7
  • S11
  • S6
  • S14
  • S2

Projetos Alterações Climáticas - RIAAC-AGRI (PDR2020 - Assistência técnica RRN - Área 4)

Pesquisar projectos

Área plano de acção

Fonte de financiamento

AGFORWARD

Entidade líder do projeto: Cranfield University
Responsável pelo projeto: Zoe Janes
Site do projeto: https://www.agforward.eu/index.php/pt/
Parceiros:

Veneto Agricoltura; Brandenburgische Technische Universitat Cottbus-Senftenberg; European Forest Institute; Association de Coordination Technique Agricole; Universidad de Santiago de Compostela; Technologiko Ekpedeftiko Idrima Stereas Elladas; Institut National de la Recherche Agronomique; Progressive Farming Trust Ltd Lbg; Brandenburgische Technische Universitat Cottbus-Senftenberg; Universidad de Extremadura; Instituto Superior de Agronomia; Kobenhavns Universitet; Eidgenoessisches Departement Fuer Wirtschaft, Bildung Und Forschung; Werkgroep Voor Een Rechtvaardige Enverantwoorde Landbouw; Aarhus Universitet; Agrifood And Biosciences Institute; Consiglio Per La Ricerca In Agricoltura E L'analisi Dell'economia Agraria; Stichting Louis Bolk Instituut; Consiglio Nazionale Delle Ricerche; Soproni Egyetem Kooperacios Kutatasi Kozpont Nonprofit Kft; Universitatea Babes Bolyai; Agenzia Veneta Per L'innovazione Nel Settore Primario; Agroof; Assemblee Permanente Des Chambres D'agriculture;  Association Francaise D Agroforesterie, Des Racines Et Des Cimes; International Centre For Research In Agroforestry; European Agroforestry Federation A Association*Eurafeuropean Agroforestry Federation

Data de início do projeto: 01-01-2014
Data de fim do projeto: 31-12-2017

Fonte de financiamento : 7th FRAMEWORK PROGRAMME
Identificação do problema ou oportunidade que se propõe abordar:

A União Europeia tem metas para melhorar a competitividade da agricultura e da silvicultura europeias, melhorando simultaneamente o ambiente e a qualidade da vida rural. Ao mesmo tempo, é necessário melhorar a resiliência às alterações climáticas e aumentar a biodiversidade. Durante o século XX, grandes avanços na produtividade foram feitos pela administração da agricultura e da silvicultura como práticas separadas, mas muitas vezes elevado custo ambiental. Poderá haver benefícios em considerar, de forma holística, a paisagem, a biodiversidade e qualidade da água, tanto para os agricultores como para a sociedade em geral. Para tal uma integração mais estreita das árvores com a agricultura para uma bio economia europeia poderá ser uma solução. Esse contínuo de agricultura e árvores pode ser denominado “agrosilvicultura”, e é a prática de integrar deliberadamente a vegetação lenhosa (árvores ou arbustos) com os sistemas de cultivo e / ou animal para se beneficiar das interações ecológicas e económicas resultantes.

Descritores: Alterações Climáticas; Floresta; Adaptação; sistemas agro-florestais; Montado; Sobreiro; Milho


Objetivos visados:

O projeto tinha quatro objetivos que foram abordados através de dez pacotes de trabalho:O projeto tinha quatro objetivos que foram abordados através de dez pacotes de trabalho:

(1) Compreender o contexto e a extensão da agrossilvicultura na Europa;

(2) Identificar, desenvolver e testar em campo inovações para melhorar os benefícios e a viabilidade de sistemas agroflorestais na Europa;

(3) Avaliar projetos e práticas agroflorestais inovadoras para locais onde atualmente a agrosilvicultura não é praticada ou está em declínio;

(4) Promover a adoção mais ampla de sistemas agroflorestais apropriados na Europa por meio do desenvolvimento de políticas.



Pontos de situação / Resultados:

A investigação sobre o Montado em Portugal centrou-se na resposta do crescimento das árvores e da cortiça às diferentes práticas de gestão do sub-bosque.

Os principais resultados mostraram que:

(1) O impacto da gestão do sub-bosque no crescimento das árvores ou da cortiça deve ser monitorizado tanto a curto prazo (por exemplo mensalmente) como a longo prazo (por exemplo, período de rotação de descascamento de cortiça de um mínimo de nove anos);

(2) O impacto das práticas de gestão do sub-bosque no crescimento de árvores e de cortiça pode depender das condições climáticas, uma vez que os recursos do ecossistema, como a água e a concorrência, para o seu uso são diferentes de acordo com estas condições.

Por exemplo, o estabelecimento de tremoços no sub-bosque poderia favorecer o crescimento da cortiça se as condições favoráveis prevalecessem, mas o efeito poderia ser nulo em anos caracterizados por condições de seca;A agricultura arável fornece grandes quantidades de alimentos, mas pode estar associada a reduções na qualidade do solo e da água, na biodiversidade e na libertação de gases com efeito de estufa.

A integração de árvores dentro de sistemas aráveis pode fornecer uma variedade de serviços ecossistémicos, diversificação de produtos e melhor eficiência de recursos. A cultura mais comum é o trigo e outros cereais. Outras culturas incluem milho, feijão, ervilha, beterraba sacarina, batata, hortícolas, girassol, alfafa e plantas medicinais e aromáticas. Em Espanha, há interesse na produção de cereais combinados com nogueira e no cultivo de milho ou plantas medicinais entre nogueiras e cereja silvestre. Outros sistemas do sul da Europa incluem arroz e plantas aromáticas entre a noz e a cereja na Grécia e o álamo e o carvalho cultivados em campos aráveis em Itália.