Inovação para a Agricultura

FacebookTwitterGoogle BookmarksRSS Feed
PT EN
  • S12
  • S11
  • S10
  • S7
  • S13
  • S2
  • S6
  • S5
  • S3
  • S14
  • S8

Projetos Alterações Climáticas - RIAAC-AGRI (PDR2020 - Assistência técnica RRN - Área 4)

Pesquisar projectos

Área plano de acção

Fonte de financiamento

EcoWater - Indicadores de ecoeficiência de mesoescala para avaliar tecnologias e sua absorção em setores de uso da água

Entidade líder do projeto: National Technical University of Athens
Responsável pelo projeto: Dionysis Assimacopoulos
Site do projeto: http://environ.chemeng.ntua.gr/ecowater
Parceiros:

Centro Internazionale di Altistudi Agronomici Mediterranei; Stichting Deltares; Fachhochschule Nordwestschweiz; Universidade do Porto; Universitet po Architektura Stroitelstvo i Geodezija; The Open University; DHI; IVL Svenska Miljoeinstitutet AB; Mita Sas di Spagarino Michele e CO.

Data de início do projeto: 01-01-2011
Data de fim do projeto: 31-12-2014

Fonte de financiamento : 7th FRAMEWORK PROGRAMME
Identificação do problema ou oportunidade que se propõe abordar:

O projeto usou uma abordagem sistemática para examinar toda o ciclo referente ao uso da água, juntamente com os processos de água envolvidos na produção de bens agrícolas e industriais ou a prestação de serviços de água potável. O consórcio investigou a seleção de indicadores adequados para avaliar melhorias na ecoeficiência. Também estudou a integração de ferramentas existentes e métodos de avaliação em modelos e a análise de estruturas e políticas existentes. Dois casos de estudo concentraram-se na substituição de agricultura de sequeiro para regadio e as inovações que podem reduzir o uso de água e energia e aumentar a produção.

Descritores: Regadio; Rega de Défice Regulado; rega gota-a-gota; Milho; Fertilizantes Orgânicos


Objetivos visados:

O projeto EcoWater teve como objetivo desenvolver uma métrica para avaliar a contribuição de diferentes inovações tecnológicas no desempenho ambiental e económico de sistemas de uso de água. Através de uma abordagem sistemática, toda a cadeia de valor foi examinada, juntamente com os processos de uso da água envolvidos na produção de bens agrícolas e industriais ou na prestação de serviços de água potável.



Pontos de situação / Resultados:

O perímetro de rega de Monte Novo fornece água para rega para uma área de mais de 7.800 ha. Este perímetro está integrado no Projeto Multipurpose Alqueva. Para a melhoria da ecoeficiência geral, cinco opções alternativas foram selecionadas:

(1) Melhoria da economia de água usando Rega de Défice Regulado (RDI) para azeitonas, milho e pastagens;

(2) Diminuição do uso de fertilizantes através da introdução de lamas tratadas provenientes de ETARs locais;

(3) Diminuição do uso de fertilizantes através da introdução de compostos orgânicos apropriados para a agricultura biológica;

(4)  Melhoria da eficiência da rega através da adoção de rega gota-a-gota subsuperficial em vez de rega gota-a-gota para o milho e as azeitonas;

(5)  Redução dos custos da água, reescalonando a rega para períodos em que o preço da energia é menor.

Dois cenários gerais foram formulados: O cenário “superintensivo” incluiu a aplicação de fertilizantes orgânicos, lamas de estações de tratamento de águas residuais e regas deficitárias. Os fertilizantes orgânicos foram aplicados apenas no milho, pois, de acordo com a avaliação individual das tecnologias, é a cultura com maior aumento na ecoeficiência. A tecnologia de rega por défice regulamentado foi considerada para milho, olival e pastagens para áreas de baixa pressão e alta pressão. O uso de lamas tratadas foi considerado apenas para pastagens (alta pressão) devido a restrições com a disponibilidade de lamas.

O segundo cenário de “baixo consumo intensivo” incluía tecnologias de fertilizantes orgânicos, lamas e rega deficitária apenas para áreas de alta pressão, ou seja, fertilizantes orgânicos aplicados ao milho, lamas aplicadas em pastagens e rega deficitária regulada aplicada a milho, azeitonas e pastagens.A combinação de diferentes tecnologias resultou em uma melhoria considerável para todos os indicadores ambientais.

A implementação do cenário “superintensivo” reduziu a depleção de combustíveis fósseis em 21% e a eutrofização em 62%. Para o cenário de “baixa intensidade”, esses dois indicadores foram reduzidos em 11% e 33%, respetivamente. Em relação ao desempenho económico, a implementação de fertilizantes orgânicos e lamas diminuiu os gastos com fertilização. A rega deficitária diminui os custos associados ao consumo e transporte de água.