Inovação para a Agricultura

pten
Rede Rural Nacional - Página do FacebookRede Rural Nacional - Página do TwitterRede Rural Nacional - Página do InstagramRede Rural Nacional - Canal do Youtube

 

                                        Rede Rural Nacional       PDR 2020       Portugal 2020       FEADR

S1.png
S2.png
S3.png
S5.png
S6.png
S7.png
S8.png
S9.png
S10.png
S11.png
S12.png
S13.png
S14.png
S16.png
previous arrow
next arrow

Projetos Alterações Climáticas - RIAAC-AGRI (PDR2020 - Assistência técnica RRN - Área 4)

Pesquisar projectos

Área plano de acção

Fonte de financiamento

HOMED - Gestão Holística de Pragas e Doenças Florestais Emergentes

Entidade líder do projeto: Institut National de la Recherche Agronomique
Responsável pelo projeto: Institut National de la Recherche Agronomique
Site do projeto: https://cordis.europa.eu/project/rcn/215943_en.html
Parceiros:

Alliance Forets Bois, França; Cab International; Institute Of Zoology, Chinese Academy of Sciences; Commonwealth Scientific And Industrial Research Organisation; Consiglio Nazionale Delle Ricerche; Coventry University; Eidgenoessische Forschungsanstalt Wsl; European Forest Institute; INRA Transfert S.A Instituto Superior de Agronomia; Mendelova Univerzita V Brne; New Zealand Forest Research Institute LTD; Pensoft Publishers; Royal Horticultural Society; Sveriges Lantbruksuniversitet; Telespazio France SAS; The University of Queensland; Universita degli Studi di Padova; University of Pretoria; Wageningen University

Data de início do projeto: 01-01-2018
Data de fim do projeto: 30-12-2022

Fonte de financiamento : H 2020
Identificação do problema ou oportunidade que se propõe abordar:

Descritores: Pragas; Floresta


Objetivos visados:

O HOMED fornecerá um conjunto completo de métodos e ferramentas práticas e inovadoras, baseadas na ciência, para avaliar e controlar pestes emergentes ou invasivas que ameaçam as florestas da UE, seguindo uma abordagem holística e multidisciplinar. Holística porque melhorará as estratégias de avaliação e gestão de risco, visando as fases sucessivas da invasão (transporte, introdução, estabelecimento e disseminação) e desenvolvendo métodos de mitigação para cada fase, ou seja, prevenção, deteção e diagnóstico, vigilância, erradicação e ferramentas de controle. Multidisciplinar, porque os cientistas irão comunicar com as partes interessadas ao longo de todo o projeto. Os gestores florestais, agências de biossegurança, formuladores de políticas e ONGs ambientais serão solicitados a expressar as suas necessidades  e validar as ferramentas à medida que elas se desenvolvam.



Pontos de situação / Resultados:

Em curso.