Inovação para a Agricultura

PT EN
FacebookTwitterGoogle BookmarksRSS Feed
  • S14
  • S5
  • S6
  • S7
  • S10
  • S3
  • S13
  • S8
  • S12
  • S2
  • S11

FitoFarmGest

Entidade líder do projeto: INSTITUTO POLITECNICO DE BEJA
Responsável pelo projeto: Patrícia Palma
Área do plano de ação: Olivicultura
Parceiros:

CENTRO OPERATIVO E DE TECNOLOGIA DE REGADIO; COOPERATIVA AGRÍCOLA DE BEJA E BRINCHES , C.R.L.; EDIA - EMPRESA DE DESENVOLVIMENTO E INFRA-ESTRUTURAS DO ALQUEVA S.A.; SARILHOS POÉTICOS - SOCIEDADE AGRÍCOLA LDª.; SERAFIM AFONSO CABRAL HERDEIROS DE; SOCIEDADE AGRICOLA MONTE SANTO ESTEVAO LDA; SOCIEDADE AGRICOLA SARAMAGO DE BRITO LDA; SOCIEDADE AGRO-PECUÁRIA COELHO PALMA, LDA


Prioridade do FEADER: P5B) melhoria da eficiência na utilização da energia no setor agrícola e na indústria alimentar;
Identificação do problema ou oportunidade que se propõe abordar:

A utilização de fitofármacos desempenha um papel importante na qualidade das culturas agrícolas, proporcionando benefícios para o aumento da produção, tais como a redução de infestantes, pragas ou doenças, no entanto, pode induzir o desenvolvimento de efeitos nefastos na maioria dos solos agrícolas, águas superficiais e subterrâneas, e consequentemente, nos ecossistemas. O seu uso maciço tem promovido o aumento de resistências a pragas e a contaminação dos diversos compartimentos abióticos, resultando num risco potencial para as culturas, saúde das populações e para o ambiente. A análise de fitofármacos nos vários compartimentos abióticos e nos géneros alimentícios é actualmente uma área de extrema importância devido a: (i) aumento de quantidades de fitofármacos detectados nos compartimentos abióticos; (ii) propriedades químicas de fitofármacos, tais como, persistência ambiental, elevada lixiviação, elevada bioacumulação e bioamplificação na cadeia trófica, o que promove um aumento do seu risco toxicológico; (iii) quantificação em vários géneros alimentícios, tais como uva de mesa, romã, arroz e centeio, de fitofármacos em concentrações superiores ao seu LMR (limite máximo de resíduo de fitofármacos em alimentos; 2005/396/CE) em Portugal (EFSA, 2015); (vi) estabelecimento de diretrizes rigorosas por parte da Comissão Europeia para minimizar o impacto desta classe de compostos (Diretiva 2013/39/CE). Assim, no âmbito de uma melhoria da eficiência dos recursos na produção agrícola, nomeadamente no uso e qualidade da água e do solo, é imprescindível que sejam realizados estudos com o objectivo de compreender a dinâmica dos fitofármacos nos compartimentos abióticos (água, solo) e biótico (plantas), e avaliar os impactes negativos (se existentes) para os recursos hídricos, o solo, a cultura e o consumidor, promovendo desta forma o incremento da gestão sustentável de fitofármacos, com o correspondente aumento da eficiência do uso e da qualidade da água, e das culturas agrícolas. Tal esforço é imprescindível para garantir que o setor agrícola permaneça ambientalmente, economicamente e socialmente sustentável, tanto no presente como no futuro.


Objetivos visados:

i) Avaliar as dinâmicas dos principais grupos de fitofármacos (entre eles os enquadrados na Directiva 2013/39/EU, como substancias prioritárias no domínio da água) com impacto ambiental e humano em culturas de regadio na zona de influência do EFMA;

ii) Identificar/ determinar um grupo de indicadores biológicos e/ou físico-químicos de avaliação de uso sustentável de fitofármacos, por forma, a melhorar a monitorização da sua utilização e garantir um melhor grau de protecção da população humana e dos ecossistemas;

iii) Elaborar um Manual de Boas Práticas no âmbito da gestão sustentável de fitofármacos contribuindo para a melhoria da qualidade da produção, protecção e conservação do solo e dos recursos hídricos.


Sumário do plano de ação:

Gestão sustentável de fitofármacos, em olival, vinha e culturas arvenses, na área de influência do EFMA.


Pontos de situação / Resultados:

Em início de atividade.

Agenda de eventos


Agenda
de Eventos

Agenda de eventos


Grupo de 
Trabalho Inovação

Folha Informativa RRN- Inovação


Folha Informativa
RRN- Inovação

Bolsa de Iniciativas


Bolsa de Iniciativas