Inovação para a Agricultura

FacebookTwitterGoogle BookmarksRSS Feed
PT EN
  • S11
  • S5
  • S14
  • S6
  • S8
  • S12
  • Inovação na Agricultura
  • S2
  • S7
  • S3
  • S13

FitoFarmGest - Gestão sustentável de fitofármacos, em olival, vinha e culturas arvenses, na área de influência do EFMA

Entidade líder do projeto: INSTITUTO POLITECNICO DE BEJA
Responsável pelo projeto: Patrícia Palma
Site do projeto: https://www.fitofarmgest.com/
Área do plano de ação: Olivicultura
Parceiros:

CENTRO OPERATIVO E DE TECNOLOGIA DE REGADIO; COOPERATIVA AGRÍCOLA DE BEJA E BRINCHES , C.R.L.; EDIA - EMPRESA DE DESENVOLVIMENTO E INFRA-ESTRUTURAS DO ALQUEVA S.A.; SARILHOS POÉTICOS - SOCIEDADE AGRÍCOLA LDª.; SERAFIM AFONSO CABRAL HERDEIROS DE; SOCIEDADE AGRICOLA MONTE SANTO ESTEVAO LDA; SOCIEDADE AGRICOLA SARAMAGO DE BRITO LDA; SOCIEDADE AGRO-PECUÁRIA COELHO PALMA, LDA


Prioridade do FEADER: P5B) melhoria da eficiência na utilização da energia no setor agrícola e na indústria alimentar;
Identificação do problema ou oportunidade que se propõe abordar:

A utilização de fitofármacos desempenha um papel importante na qualidade das culturas agrícolas, proporcionando benefícios para o aumento da produção, tais como a redução de infestantes, pragas ou doenças, no entanto, pode induzir o desenvolvimento de efeitos nefastos na maioria dos solos agrícolas, águas superficiais e subterrâneas, e consequentemente, nos ecossistemas. O seu uso maciço tem promovido o aumento de resistências a pragas e a contaminação dos diversos compartimentos abióticos, resultando num risco potencial para as culturas, saúde das populações e para o ambiente. A análise de fitofármacos nos vários compartimentos abióticos e nos géneros alimentícios é actualmente uma área de extrema importância devido a: (i) aumento de quantidades de fitofármacos detectados nos compartimentos abióticos; (ii) propriedades químicas de fitofármacos, tais como, persistência ambiental, elevada lixiviação, elevada bioacumulação e bioamplificação na cadeia trófica, o que promove um aumento do seu risco toxicológico; (iii) quantificação em vários géneros alimentícios, tais como uva de mesa, romã, arroz e centeio, de fitofármacos em concentrações superiores ao seu LMR (limite máximo de resíduo de fitofármacos em alimentos; 2005/396/CE) em Portugal (EFSA, 2015); (vi) estabelecimento de diretrizes rigorosas por parte da Comissão Europeia para minimizar o impacto desta classe de compostos (Diretiva 2013/39/CE). Assim, no âmbito de uma melhoria da eficiência dos recursos na produção agrícola, nomeadamente no uso e qualidade da água e do solo, é imprescindível que sejam realizados estudos com o objectivo de compreender a dinâmica dos fitofármacos nos compartimentos abióticos (água, solo) e biótico (plantas), e avaliar os impactes negativos (se existentes) para os recursos hídricos, o solo, a cultura e o consumidor, promovendo desta forma o incremento da gestão sustentável de fitofármacos, com o correspondente aumento da eficiência do uso e da qualidade da água, e das culturas agrícolas. Tal esforço é imprescindível para garantir que o setor agrícola permaneça ambientalmente, economicamente e socialmente sustentável, tanto no presente como no futuro.


Objetivos visados:

i) Avaliar as dinâmicas dos principais grupos de fitofármacos (entre eles os enquadrados na Directiva 2013/39/EU, como substancias prioritárias no domínio da água) com impacto ambiental e humano em culturas de regadio na zona de influência do EFMA;

ii) Identificar/ determinar um grupo de indicadores biológicos e/ou físico-químicos de avaliação de uso sustentável de fitofármacos, por forma, a melhorar a monitorização da sua utilização e garantir um melhor grau de protecção da população humana e dos ecossistemas;

iii) Elaborar um Manual de Boas Práticas no âmbito da gestão sustentável de fitofármacos contribuindo para a melhoria da qualidade da produção, protecção e conservação do solo e dos recursos hídricos.


Sumário do plano de ação:

Gestão sustentável de fitofármacos, em olival, vinha e culturas arvenses, na área de influência do EFMA.


Pontos de situação / Resultados:

1º grupo focal do projeto FitoFarmGest decorreu no próximo dia 27 de Março, pelas 14h na Escola Superior Agrária de Beja. Conclusões da participação pela Coordenadora da RRN.

SÍNTESE DO ESTADO DE EXECUÇÃO DO PROJETO

Consulte aqui o estado de execução do projeto. (março 2019)

DIVULGAÇÃO

  • Reuniões técnicas (2 em 2018: 22 fevereiro; 17 dezembro), realizadas na Escola Superior Agrária de Beja;
  • Apresentação do GO FitoFarmGest no Fórum dos Politécnicos, subordinado ao tema “Valorização agro-industrial e produção animal: Quintas de investigação e desenvolvimento experimental e internacionalização”, que teve lugar a 30 de abril na 35ª Ovibeja;
  • Participação no VII congresso de Drenagem 2018, com apresentação do GO FitoFarmGest;
  • Apresentação do GO FitoFarmGest, na Cimeira AgroInovação 2018.

EVENTOS 

No âmbito do projeto FitoFarmGest (www.fitofarmgest.com): Gestão sustentável de fitofármacos, em olival, vinha e culturas arvenses, na área de influência do EFMA, será realizado o primeiro Focus grupo do projeto no cujo temática é “Ferramentas de apoio à decisão às práticas agrícolas”, na perspetiva da implementação de práticas agrícolas ambientalmente mais sustentáveis. O Focus Grupo terá lugar dia 27 de março.