Inovação para a Agricultura

FacebookTwitterGoogle BookmarksRSS Feed
PT EN
  • S3
  • S13
  • S2
  • S5
  • S8
  • S7
  • S11
  • S10
  • S12
  • S6
  • S14

GEO SUBER - Monitorização do Montado

Entidade líder do projeto: UNAC - UNIÃO DA FLORESTA MEDITERRÂNICA
Responsável pelo projeto: Nuno Calado
Área do plano de ação: Cortiça
Parceiros:

ANTA DE CIMA - SOCIEDADE AGRICOLA, UNIPESSOAL LDA; ASSOCIAÇÃO DOS PRODUTORES FLORESTAIS DO CONCELHO DE CORUCHE E LIMITROFES; COMPANHIA DAS LEZÍRIAS S.A.; FACULDADE DE CIENCIAS DA UNIVERSIDADE DE LISBOA; INSTITUTO DA CONSERVAÇÃO DA NATUREZA E DAS FLORESTAS, I.P ; INSTITUTO SUPERIOR DE AGRONOMIA; LUIS FILIPE BUAL FALCÃO DA LUZ; PEDRO MIGUEL BELO RAMOS COURINHA MARTINS; PEDRO SACADURA TEIXEIRA CABRAL DUARTE DA SILVEIRA; SOCIEDADE AGRICOLA DO FREIXO DO MEIO LDA.; SOCIEDADE AGRICOLA MONTE DA SE LDA; SYSTERRA - ENGENHARIA E GESTÃO LDA


Prioridade do FEADER: P4) Restaurar, preservar e melhorar os ecossistemas ligados à agricultura e à silvicultura;
Identificação do problema ou oportunidade que se propõe abordar:

No montado de sobro em Portugal, ao longo das últimas 3 décadas, constatou-se um fenómeno de perda de vigor e consequente declínio. Se por um lado uma multiplicidade de fatores bióticos e abióticos foram identificados como potenciais responsáveis ou intervenientes no desequilíbrio do ecossistema, por outro lado, a ação do Homem na componente de gestão dos povoamentos tem também um papel determinante para ajudar a inverter a situação. A estratégia nacional para adaptação às alterações climáticas refere um agravamento do stress ambiental levando a um aumento do declínio do montado. Verifica-se a inexistência até à data de mecanismos de monitorização da vitalidade do montado em tempo útil, tendo esta fragilidade sido identificada pelo menos desde 2007 (Edmundo, S. – Perda de vigor dos montados de sobro e azinho) sem que tenham ocorrido avanços significativos nesta problemática.

A presente iniciativa pretende dar um contributo para a identificação e diagnóstico de situações de stress no sobreiro recorrendo para o efeito a tecnologias de deteção remota próxima e análise espacial para monitorizar o estado de vitalidade da árvore com integração em sistemas de informação e posterior disponibilização numa aplicação web e móvel. A oportunidade surge da nova política de acesso aberto a imagens de satélite por parte da agência espacial europeia e da maturidade e reduzido custo de operação dos sistemas aéreos não tripulados (VANT) que complementam e potenciam o uso de dados espetrais para melhoria nos processos de gestão agro-florestal. Integrando a tecnologia e o conhecimento, poderá ser possível ao produtor florestal dispor de informação rigorosa e fiável numa base mensal que permitirá monitorizar o montado, aferindo de forma mais atempada o seu desenvolvimento no que diz respeito, por exemplo, à perda de vitalidade e à identificação de situações de stress, possibilitando recomendações de gestão específicas e uma intervenção mais eficaz que possa contribuir para inverter essa tendência.


Objetivos visados:

Os principais objetivos a atingir são garantir a monitorização periódica do estado vegetativo do montado através de deteção remota e disponibilizar ao produtor florestal através de uma plataforma on-line, a informação necessária para operacionalizar a gestão. Como objetivos específicos são de enunciar:

- o desenvolvimento de plataforma web para alojamento e disponibilização da informação processada;

- a identificação de zonas de perda de vitalidade para o estabelecimento de recomendações de gestão à escala da propriedade, de forma a tentar inverter a tendência atuando de forma preventiva;

- a inventariação anual de árvores mortas e produção de cartografia de apoio ao requerimento de corte/ arranque de sobreiros que é normalmente feito no último trimestre de cada ano;

- a monitorização da evolução do índice foliar do sobreiro e a sua relação com o início do período de descortiçamento;

- a manutenção de um registo histórico georreferenciado da mortalidade do sobreiro;

- a manutenção à escala regional de um registo histórico georreferenciado da vitalidade do montado;

- a promoção de uma gestão adaptativa que reforce a resiliência do montado;

- a divulgação dos principais resultados do projeto aos agentes do sector.

Este projeto responde aos objetivos propostos na Agenda Portuguesa de Investigação e Inovação no Sobreiro e na Cortiça na vertente do plano nacional de melhoria da produtividade, na linha estruturante dos sistemas de produção em stress, com o diagnóstico dessas situações e a monitorização ecofisiológica do sobreiro. Com vista à sua efetiva utilização pelos produtores florestais, será criada uma plataforma gerida pela UNAC e as OPF que possibilite ao produtor florestal aceder a uma aplicação web de uma forma muito simples e intuitiva.

O projeto constitui uma inovação de produto, através da plataforma web de monitorização da vitalidade do montado e da aplicação mobile para acesso e visualização dos dados obtidos, e de processo com a determinação da influência da evolução do índice foliar no sobreiro na possibilidade de descortiçamento à escala da exploração, originando alterações ao planeamento da extração da cortiça, maximizando a eficácia e aproveitamento da operação de descortiçamento, minimizando perdas de cortiça (por ainda não estar em condições fisiológicas adequadas) e com as recomendações de medidas de gestão adaptativa para melhoramento da vitalidade do sobreiro, que preconizarão alterações no processo de gestão suberícola e produção de cortiça.


Sumário do plano de ação:

Desenvolvimento de plataforma de monitorização da vitalidade do montado de sobro disponibilizando informação em tempo útil para uma intervenção preventiva, incorporando vertentes de apoio à operacionalização da gestão florestal.


Pontos de situação / Resultados:

Em início de atividade.

Este GO foi apresentado no Agri-Innovation Summit 2017. O póster apresentado pode ser visto aqui.