Inovação para a Agricultura

FacebookTwitterGoogle BookmarksRSS Feed
PT EN
  • Inovação na Agricultura
  • S13
  • S5
  • S6
  • S12
  • S14
  • S7
  • S2
  • S11
  • S8
  • S3

GOTECFOR - Tecnologia para a mobilização e aproveitamento de Biomassa Florestal na agroindustria

Entidade líder do projeto: FORESTIS - ASSOCIAÇÃO FLORESTAL DE PORTUGAL
Responsável pelo projeto: Ricardo Marinho (geral@forestis.pt/ r.marinho@forestis.pt)
Área do plano de ação: Biomassa Florestal
Parceiros:

FLORESTA JOVEM PLANTAÇÃO E MANUTENÇÃO DA FLORESTA, LDA; INEGI-INST. DE CIÊNCIA E INOVAÇÃO EM ENG.IA MECÂNICA ENG.IA INDUSTRIAL; INESC TEC-INST.ENG.DE SISTEMAS E COMPUTADORES, TECNOLOGIA E CIÊNCIA; SERGIO DOMINGOS AZEVEDO ALVES


Prioridade do FEADER: P5B) melhoria da eficiência na utilização da energia no setor agrícola e na indústria alimentar;
Identificação do problema ou oportunidade que se propõe abordar:

As explorações de horticultura intensiva e floricultura em estufas/culturas protegidas têm necessidades de soluções de aquecimento eficientes para aumentar a sua produtividade e competitividade entre meses de Outubro e Maio. As soluções de aquecimento de natureza fóssil estão expostas a constantes flutuações dos preços que influenciam a capacidade de planeamento a médio e a longo prazo. Em paralelo, existe um recurso florestal disponível e subvalorizado/subaproveitado para a produção de biomassa para fins energéticos (nomeadamente calor). Face a estas duas realidades, existe uma oportunidade de criação de valor tanto para os proprietários florestais (PF), para as empresas prestadoras de serviços, como para as atividades agroindustriais através da utilização da biomassa de origem agroflorestal (BF) para aquecimento das estufas.

Esta é uma abordagem que valoriza a floresta e viabiliza as atividades das culturas protegidas, através da diminuição dos custos energéticos recorrendo a fontes endógenas renováveis e de origem nacional/local, estando diagnosticado os seguintes problemas:

- Os PF e as empresas de serviços necessitam de modelos de recolha, de planeamento logístico e transporte mais eficientes e otimizados no sentido de tornar viável a utilização da biomassa florestal (BF), uma vez que esta se encontra dispersa pelo território nacional;

- As empresas de recolha necessitam de máquinas de pequeno porte mais adaptadas e automatizadas que permitam reduzir os custos de recolha de BF, aumentar a segurança e reduzir o esforço físico dos operadores nos processos de recolha e pré-processamento da BF;

- As estufas precisam de redimensionar, adaptar ou alterar as soluções atuais, (consumidoras respetivamente de estilha de BF, de outras fontes (gasóleo e eletricidade) associadas ao aquecimento das culturas protegidas para aumentarem a sua eficiência e diminuírem custos de energia.


Objetivos visados:

O potencial atual dos nossos recursos florestais, largamente subaproveitado e perdido em incêndios, associado às necessidades concretas da floresta e culturas protegidas, impulsiona este grupo operacional a explorar e a testar soluções inovadoras, com os seguintes objetivos gerais:

- Promover a utilização da BF para valorização da floresta/território e aumento da produtividade/interligação das atividades agroflorestais;

- Diminuir os custos associados às atividades produtivas associada às culturas protegidas (necessidades de calor);

- Promover uma gestão integral dos recursos florestais e valorizar produtos considerados residuais, por forma a reduzir importações de combustíveis fósseis;

- Promover a utilização de máquinas e equipamentos mais eficientes, mais seguros e mais adequadas á realidade Portuguesa;

- Promover o desenvolvimento de novas cadeias de valor sustentáveis, de baixo carbono e mais eficientes em termos da utilização dos recursos;

- Estimular a inovação e o desenvolvimento tecnológico para dar resposta às necessidades dos diversos agentes relacionados com o aproveitamento da BF.

São objetivos operacionais:

- Identificar soluções de desenvolvimento tecnológico que contribuam para ultrapassar as barreiras existentes;

- Testar soluções técnicas existentes para a recolha da BF de forma mais eficiente;

- Identificar os principais obstáculos existentes ao longo da cadeia de valor e testar ferramentas de apoio no âmbito dos processos logísticos para otimização da cadeia de abastecimento;

- Propor modelos integrados de soluções de produção de energia em função da tipologia dos consumidores;

- Difundir técnicas e tecnologias apropriadas para o aproveitamento da BF;

- Aplicar resultados do projeto europeu FOCUS para a gestão da cadeia de abastecimento da biomassa em Portugal.


Sumário do plano de ação:

Esta operação irá atuar na aplicação e desenvolvimento de soluções de aproveitamento adequado às necessidades de aquecimento de estufas com recurso a biomassa florestal e resíduos agroflorestais. Surge de uma oportunidade identificada de criação de valor quer para os proprietários florestais, para as empresas prestadoras de serviços, bem como para as atividades agroindustriais através da utilização da biomassa de origem agroflorestal (BF) para aquecimento das estufas, recorrendo a sistemas economicamente mais vantajosos. Esta é uma abordagem que valoriza a floresta e viabiliza as atividade das culturas protegidas, através da diminuição dos custos energéticos recorrendo a fontes endógenas renováveis e de origem nacional/local.


Pontos de situação / Resultados:

Em início de atividade.

Este GO foi apresentado no Agri-Innovation Summit 2017. O póster apresentado pode ser visto aqui.