Inovação para a Agricultura

FacebookTwitterGoogle BookmarksRSS Feed
PT EN
  • S3
  • S6
  • S13
  • S7
  • S12
  • S2
  • S14
  • S10
  • S11
  • S5
  • S8

GO - Fortificação de Pera Rocha em cálcio

Entidade líder do projeto: UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA
Responsável pelo projeto: Fernando Lidon
Site do projeto: https://sites.fct.unl.pt/bio_perarocha_calcio/
Área do plano de ação: Cultura de pomóideas e prunóideas
Parceiros:

ANTONIO PERALTA DOS SANTOS; FRUTALVOR-CENTRAL FRUTEIRA CRL; HBIO, LDA; INSTITUTO NACIONAL DE INVESTIGAÇÃO AGRÁRIA E VETERINÁRIA IP; INSTITUTO SUPERIOR DE AGRONOMIA; RIBAMAIOR- PRODUÇÃO E COMERCIO DE FRUTAS, LDA. .


Prioridade do FEADER: P2A) melhoria do desempenho económico de todas as explorações agrícolas e facilitação da restruturação e modernização das explorações agrícolas, tendo em vista nomeadamente aumentar a participação no mercado e a orientação para esse mesmo mercado, assim como a diversificação agrícola;
Identificação do problema ou oportunidade que se propõe abordar:

A biofortificação nutricional de alimentos vem constituindo uma opção na União Europeia, que tem justificado a constituição de consórcios internacionais (entre outros a COST Action FA0905 - http://www.cost.eu/COST_Actions/fa/FA0905manual, nos quais os proponentes desta proposta tiveram uma função preponderante no Conselho de Gestão em representação de Portugal. O cálcio é o mineral mais abundante no organismo humano, reconhecendo-se que a respectiva deficiência afecta a contração muscular, coagulação sanguínea e a transmissão nervosa e pode induzir o raquitismo (em crianças) e a osteomalácia (em adultos). Assim, a evolução potencial de carências em cálcio no organismo, ao longo da vida do ser humano, depende da formação óssea no começo da vida, do acúmulo de cálcio nos ossos e da quantidade de massa óssea nas idades mais avançadas. Com a biofortificação de alimentos em cálcio, a saúde pública dos diferentes grupos populacionais fica beneficiada populações podem ser beneficiadas. De facto, actualmente já se reconhece a importância / impacte dos Programas de Biofortificação (a título de exemplo, aponte-se o estudo de Dayod et al., 2010, Calcium storage in plants and the implications for calcium biofortification. Protoplasma 24 (3-4): 215-231; Kendal et al., Nutritional genomics, cap. 17 – ISBN 978-1-4398-4452-6).

A Pera Rocha é um produto DOP da Região Oeste de Portugal, cuja comercialização ascende a cerca de 200 milhões de euros, exportando-se cerca de 150 milhões de euros. Contudo, em Portugal, ao contrário do que já sucede com a biofortificação em cálcio da maçã (Projecto desenvolvido pelas instituições FCT/UNL e INIAV e envolvidas nesta proposta – Proder- PA24060/CaPolme - http://redagrotec.iniav.pt/images/Projetos/sistemas_agrarios/PA24059.pdf), a biofortificação agronómica da Pera Rocha ainda não foi implementada. Propõe-se assim a obtenção de Pera Rocha biofortificada, e disseminar informação técnica junto de produtores e indústria transformadora, satisfazendo-se as necessidades de competitividade da cadeia agro-industrial nacional nos mercados internacionais.


Objetivos visados:

Não existindo, em Portugal, Pera Rocha biofortificada em cálcio mas possuindo indicadores de competitividade elevada consideram-se os seguintes índices / objectivos:

A. Ao nível da produção e conservação:

1. Otimização da produção de Pera Rocha, com elevados índices de comercialização nacional e internacional, para biofortificação em cálcio, considerando a interação entre os diferentes sistemas, nomeadamente as interações entre os tipos de adubação e os momentos de aplicação.

2. Delineamento de um itinerário técnico para a produção de Pera Rocha biofortificada em cálcio destinada ao consumo direto é à transformação industrial.

3. Aferição do efeito dos processos de transformação em Pera Rocha biofortificada em cálcio na composição nutricional, considerando os requisitos industria dos mercados-alvo, de acordo com os requisitos da Alta Segurança Alimentar e as diretivas da União Europeia para o sector.

B. A nível económico:

1º-No âmbito da produção convencional de Pera Rocha em campos de produção plena, adoptando uma perspectiva minimalista, o valor médio de produção (considerando alguma heterogeneidade no calibre, poderá acender a 25 ton/ha, com um custo de 0,25€/kg, logo 6250 €/ha), sendo 70% da produção para consumo interno e os restantes 30% para exportação (índice médio de comercialização – 0,60 e 1,87€/kg, logo 600 e 1870 €/ton e 15000 e 46750 €/ha respectivamente).

2º-No âmbito da biofortificação da Pera Rocha, também adoptando uma perspectiva maximalista estima-se um consumo adicional de 100 €/kg na aquisição de fertilizantes e uma mais-valia económica acrescida em 5-10 cêntimos por kg (assim, face a um custo de produção média de 6350 €/ha, estima-se uma comercialização no mercado nacional de 0,65-0,70 €/kg de Pera Rocha biofortificada (logo 650-700 €/ton -16250- 17500 €/ha) e 1,92-1,97€/kg no plano internacional (logo 1920-1970 €/ton -48000- 49250 €/ha).

3º-Em conclusão com a produção de Pera Rocha biofortificada em cálcio, o objectivo deste projecto será a criação de um produto inovador, sem factores concorrenciais a nível nacional / internacional e com um acréscimo de rentabilidade média que em relação à comercialização actual corresponde, no plano nacional e internacional, seguindo uma perspectiva minimalista, a 8-16% e 2,5-5,2%, respectivamente.


Sumário do plano de ação:

A nível societal, o desenvolvimento de produtos alimentares de base com características funcionais (Pera Rocha biofortificada em cálcio) favorece a saúde pública numa base bioeconómica sustentável, tal como propõe a Comissão Europeia (http://ec.europa.eu/research/bioeconomy/index.cfm?pg=home. Assim, a biofortificação nutricional de alimentos já constitui uma opção na União Europeia, que tem justificado a constituição de consórcios internacionais (entre outros, a COST Action FA0905 - http://www.cost.eu/COST_Actions/fa/FA0905manual, nos quais os proponentes desta proposta tiveram uma acção preponderante no Conselho de Gestão em representação de Portugal.

Neste enquadramento este projecto visa o desenvolvimento de novas tecnologias (i.e., um itinerário técnico) e a produção de Pera Rocha fortificada em cálcio, com elevados padrões de qualidade (i.e., um alimento profiláctico com valor nutricional acrescido), que se antevê estar na base de um mercado potencial.


Pontos de situação / Resultados:

Em início de atividade.

Este projecto visa o desenvolvimento de novas tecnologias (i.e., um itinerário técnico) e a produção de Pera Rocha fortificada em cálcio, com elevados padrões de qualidade (i.e., um alimento profiláctico com valor nutricional acrescido), que se antevê estar na base de um mercado potencial.