Inovação para a Agricultura

FacebookTwitterGoogle BookmarksRSS Feed
PT EN
  • S11
  • S6
  • S12
  • S3
  • S5
  • S13
  • S2
  • S8
  • S14
  • Inovação na Agricultura
  • S7

GO FITOGlobulus

Entidade líder do projeto: FORESTIS - ASSOCIAÇÃO FLORESTAL DE PORTUGAL
Responsável pelo projeto: Rosário Alves
Área do plano de ação: Material Lenhoso
Parceiros:

ASSOCIAÇÃO DA INDÚSTRIA PAPELEIRA CELPA; ASSOCIAÇAO FLORESTAL DO BAIXO VOUGA; INSTITUTO DA CONSERVAÇÃO DA NATUREZA E DAS FLORESTAS, I.P ; INSTITUTO NACIONAL DE INVESTIGAÇÃO AGRÁRIA E VETERINÁRIA IP; INSTITUTO SUPERIOR DE AGRONOMIA; NAVIGATOR FOREST PORTUGAL, S.A.; RAIZ - INSTITUTO DE INVESTIGAÇÃO DA FLORESTA E PAPEL; UNIVERSIDADE DE COIMBRA; UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA


Prioridade do FEADER: P4) Restaurar, preservar e melhorar os ecossistemas ligados à agricultura e à silvicultura;
Identificação do problema ou oportunidade que se propõe abordar:

O eucalipto é uma das principais espécies que, em Portugal, sustentam uma das mais importantes fileiras do setor florestal, cuja relevância económica e social é indiscutível. Contudo, enfrenta um conjunto de problemas de onde se destacam os fitossanitários, nomeadamente os ataques do gorgulho-do-eucalipto (Gonipterus platensis) que se têm vindo a verificar desde 1995, ano em que foi detetado pela primeira vez no nosso país. As perdas no volume comercial verificadas em povoamentos atacados pelo gorgulho-do-eucalipto atingem um valor médio de 51%. Para uma percentagem de 50% de desfoliação verificam-se perdas em volume de 21%, enquanto para uma percentagem de desfoliação de 75%, essas perdas aumentam exponencialmente para valores de 42%. Em situações mais graves, as desfolhas intensas e consecutivas ao longo dos anos podem mesmo provocar a perda total da madeira utilizável (ICNF, 2014). De referir que esta praga ataca preferencialmente povoamentos de eucalipto entre os 2 e os 4 anos de idade (transição folha jovem para folha adulta) e os adultos, ficando assim o retorno do investimento desde logo comprometido. Ao agravamento da situação provocada pelo gorgulho-do-eucalipto, estão associados outros fatores que têm influenciado a produção do eucalipto e a sua sustentabilidade económica. É pois necessário dar continuidade a um conjunto de ações que visem suportar os produtores e gestores florestais de técnicas mais eficazes na prevenção e controlo desta praga e uma maior divulgação dos resultados entretanto já obtidos, reforçando o estabelecido na versão em vigor do Plano de Controlo para o inseto Gonipterus platensis, publicado em fevereiro de 2015 pelo ICNF.


Objetivos visados:

Esta iniciativa tem como objetivo definir novas estratégias de intervenção que, tirando partido de todo o conhecimento já existente e da experiencia acumulada sobre esta matéria possam:

- Diminuir os custos da aplicação de medidas de luta contra o gorgulho;

- Aumentar a sua eficácia relativamente aos utilizados e previstos no Plano de controlo do G. platensis;

- Diminuir os riscos relacionados com o uso da luta química (otimização do seu uso) em articulação com formas de gestão de caracter preventivo, contribuindo para a sustentabilidade da floresta de eucalipto;

- Estar adaptados às diferentes escalas de intervenção (proprietário individual/ grandes áreas).

Esta iniciativa pretende assim contribuir para a diminuição dos impactos negativos que o G. platensis tem provocado, tendo por base o desenvolvimento de estratégias operacionais integradas através da identificação de novas formas de atuação, nomeadamente a implementação de práticas de gestão florestal adequadas, através do desenvolvimento de modelos silvícolas e novas ações integradas de luta química, biológica e biotécnica, para além daquelas que foram já identificadas no Plano de controlo do G. platensis.

Os objetivos específicos que irão orientar as fases deste GO são:

- Prevenir o aparecimento de novas áreas afetadas (fase 1) baseados em modelos silvícolas ajustados;

- Diminuir os impactos em áreas afetadas pelo G. platensis e recuperar áreas degradadas (fase 1) através da implementação das estratégias integradas de atuação;

- Desenvolver novos meios de luta contra G. platensis numa ótica de gestão integrada dos eucaliptais afetados, através de soluções inovadoras de luta química, biológica e biotécnica, adaptadas aos modelos silvícolas do eucalipto em Portugal (fase 1);

- Estimar a evolução da situação do G. platensis, através de métodos expeditos, integrando diversas metodologias (fase 2);

- Analisar os impactos das ações já implementadas e a implementar no âmbito deste GO (fase3);

- Estimar as perdas provocadas pelo G. platensis e propor alteração/revisão das medidas de apoio financeiro de forma a torná-las mais adequados (fase 3);

- Transferir o conhecimento gerado de forma ampla aos proprietários/produtores, gestores e técnicos florestais e dotá-los de medidas preventivas e de controlo mais eficazes (fase 4).


Sumário do plano de ação:

Este grupo operacional tem como área de atuação a identificação e o de desenvolver soluções eficientes e sustentáveis para mitigar e combater danos e perdas de produtividades na floresta de eucalipto devido ao Gorgulho-do-Eucalipto (Gonipterus platensis). Esta iniciativa vem dar continuidade e tornar possível operacionalizar e testar um conjunto de ações de controlo e monitorização, numa perspetiva de acelerar os impactos desejáveis que estas terão no território, transferir o conhecimento já produzido e o de identificar novas soluções de atuação.


Pontos de situação / Resultados:

Em início de atividade.