Inovação para a Agricultura

FacebookTwitterGoogle BookmarksRSS Feed
PT EN
  • S12
  • S2
  • S11
  • S13
  • S5
  • S10
  • S7
  • S8
  • S6
  • S3
  • S14

MacFertiQual - Novos métodos de diagnóstico nutricional em macieiras ‘Gala’ visando a sustentabilidade e a qualidade

Entidade líder do projeto: INSTITUTO SUPERIOR DE AGRONOMIA
Responsável pelo projeto: Cristina Oliveira
Site do projeto: https://macfertiqual.webnode.pt/
Área do plano de ação: Cultura de pomóideas e prunóideas
Parceiros:

ANTONIO MANUEL VEIGA DE MAGALHAES; ASSOCIAÇÃO DOS PRODUTORES DE MACA DE ALCOBAÇA; CAMPOTEC IN - CONS. E TRANSFORMAÇÃO DE HORTOFRUTÍCOLAS, SA; CENTRO OPERATIVO E TECNOLÓGICO HORTOFRUTÍCOLA NACIONAL; FACULDADE DE CIENCIAS DA UNIVERSIDADE DE LISBOA; FRUBAÇA - COOPERATIVA DE HORTOFRUTICULTORES CRL; FRUTALCOA SOCIEDADE DE AGRICULTURA DE GRUPO LDA; GRANFER - PRODUTORES DE FRUTAS, CRL; INSTITUTO NACIONAL DE INVESTIGAÇÃO AGRÁRIA E VETERINÁRIA IP; VALE DO BAÇA - SOCIEDADE AGRICOLA, LDA;


Prioridade do FEADER: P5E) promoção da conservação e do sequestro de carbono na agricultura e na silvicultura;
Identificação do problema ou oportunidade que se propõe abordar:

Um Novo Produto Maçã de Alcobaça, uma Nova Metodologia Expedita de Avaliação do Estado Nutricional dos Pomares A atual profissionalização do sector, a modernização dos processos produtivos, de conservação e de processamento com recurso a mais conhecimento e melhores tecnologias de precisão, permitem à fileira olhar o futuro dos mercados globais e de exportação com sentido de maior responsabilidade, de maior satisfação e de maior funcionalidade para os consumidores modernos. De tal análise mais profissional do mercado, conclui-se facilmente que as novas tendências do consumidor orientamse cada vez mais para maçãs mas seguras, maçãs mais ricas do ponto de vista nutricional e consequentemente maçãs naturalmente mais saudáveis. Deste modo procura-se com o projeto encontrar, para o atual modelo de produção moderna de Maçã de Alcobaça IGP, um referencial nutricional mais equilibrado, de modo a desenvolver-se um novo produto maçã, das cultivares do grupo Gala, as mais exportáveis, com novos parâmetros mínimos de qualidade interna e externa, mais elevados e mais diferenciadores, ou seja, introduzir dentro de uma maçã mais racionalidade e mais equilíbrio nutricional. Por outro lado, em Portugal, o diagnóstico do estado nutricional dos pomares de macieira é efetuada através da análise de folhas recolhidas 90 a 120 dias após a plena floração (DAPF), tal como se recomenda nas Normas Técnicas para a Produção Integrada de Pomóideas (DGADR, 2012) e no Manual de Fertilização das Culturas (INRB IP, 2004).

A utilização desta metodologia nos pomares de alta densidade da Maçã de Alcobaça levanta dois problemas: Os “níveis críticos ou gamas de valores adequados” de teores de nutrientes nas folhas, publicados nos documentos referidos, poderão não ser os mais adequados para os pomares de alta densidade da Maçã de Alcobaça. Esses níveis críticos foliares baseiam-se ou em bibliografia estrangeira ou em dados obtidos em Portugal para pomares com características muito diferente, dos atuais pomares e sujeitos a esquemas/intensidades de fertilização bastante distintos. A análise foliar aos 90-120 DAPF origina um resultado do diagnóstico numa fase muito avançada do ciclo. Por este motivo, em termos práticos, qualquer situação de carência ou toxicidade de nutrientes vegetais detetada através da análise foliar aos 90-120 DAPF, dificilmente poderá ser corrigida no próprio ano, podendo a produção e a qualidade dos frutos desse ano ser seriamente comprometida. A metodologia de diagnóstico implementada e recomendada em Portugal é muito limitada quanto à possibilidade de se fazerem intervenções no próprio ano, servindo apenas de base para a recomendação de fertilização do pomar no ano seguinte. Por outro lado, não estão, ainda, implementadas metodologias que permitam fazer deteções precoces de carências e/ou toxicidades e intervenções/correções atempadas, cujos efeitos se manifestem na produção e na qualidade dos frutos do próprio ano. Muitas OPs recorrem a análises de seiva efetuadas no estrangeiro, as quais uma vez desenvolvidas e validadas em Portugal podem constituir uma importante ferramenta de diagnóstico e tomada de decisão precoce para as empresas nacionais.


Objetivos visados:

O objetivo final após o desenvolvimento deste novo produto maçã com parâmetros mais diferenciadores, será desenvolver e implementar pela APMA um caderno de especificações próprio para este produto e desenvolver um novo conceito de maçã MAIS…, com imagem específica, diferenciadora e para um público mais exigente. Paralelamente certificar este conceito, enquanto novo produto Maçã e enquanto Maçã de Indicação Geográfica Protegida.

Para tal os objectivos parciais são:

1- Monitorizar os teores de nutrientes durante 5 anos em pomares intensivos Gala em diferentes órgãos, durante diferentes fases do ciclo e com diferentes tipos de análises. Estes pomares são de fruticultores pertencentes às seguintes OPs (Organização de Produtores): Granfer, Frubaça e Campotec e com as empresas Vale do Baça, Sociedade Agrícola Lda, Frutalcoa-SAG, Lda e Soati-SAG, Lda.

2- Conseguir identificar valores de referência para os nutrientes que forem considerados chave para a produção e qualidade da maçã de Alcobaça. Esses valores de referência deverão ser estabelecidos para cada tipo de órgão (flores, folhas, frutos) e para cada momento do ciclo fenológico, por forma a ter um padrão da evolução de cada nutriente, em cada órgão, ao longo do ciclo vegetativo.

3-Pretende-se conhecer em detalhe a dinâmica dos nutrientes em diferentes órgãos ao longo do ciclo, bem como as correlações entre os diferentes tipos de análises.

4- Pretende-se ao fim de 5 anos obter os níveis críticos/gama de valores adequados definitivos não só para análises foliares standard (90-110 dias DAPF) mas também para outro tipo de análises que possam ser efetuadas numa fase mais precoce do ciclo.

5-Implementar e validar metodologias expeditas suscetíveis de serem implementadas pelos fruticultores in loco para monitorização do estado nutricional dos pomares.


Sumário do plano de ação:

Procura-se com o projeto encontrar para o atual modelo de produção moderna de Maçã de Alcobaça IGP, um referencial nutricional mais equilibrado, de modo a desenvolver-se um novo produto maçã, das cultivares do grupo Gala, as mais exportáveis, com novos parâmetros mínimos de qualidade interna e externa, mais elevados e mais diferenciadores, ou seja, introduzir dentro de uma maçã mais racionalidade e mais equilíbrio nutricional. Propõe-se estabelecer os níveis críticos foliares dos nutrientes em diferentes fases do ciclo, desenvolvendo metodologias de monitorização precoce do estado nutricional que estabeleçam para cada indicador (nutriente x órgão x momento) selecionado, a “gama de valores adequados”/níveis críticos. Estabelecer-se-á relações entre o teor dos nutrientes nos vários órgãos e a qualidade dos frutos, à colheita e após conservação, para identificar nutrientes-chave na qualidade. Sendo as árvores nos pomares atuais mais exigentes em nutrientes e na oportunidade da sua aplicação, tenta-se obviar à falta de informação e ao atraso na tomada de decisão decorrente da metodologia atual que dá resultados já numa fase muito adiantada do ciclo. Estas metodologias incluirão métodos expeditos a serem implementados pelos fruticultores nas suas explorações.


Pontos de situação / Resultados:

Em início de atividade.