Inovação para a Agricultura

Rede Rural Nacional - Página do FacebookRede Rural Nacional - Página do TwitterRede Rural Nacional - Página do InstagramRede Rural Nacional - Canal do Youtube
PT EN
  • S8
  • S6
  • S12
  • S2
  • S13
  • S7
  • Inovação na Agricultura
  • S5
  • S3
  • S14
  • S11

FRUTA DRAGÃO - Avaliação do impacto de diferentes práticas culturais na capacidade produtiva da Pitaia Vermelha no sul do país. Testagem de cultura alternativa, altamente rentável, dirigida para o mercado nacional e internacional

Entidade líder do projeto: AJAP - ASSOCIAÇÃO DOS JOVENS AGRICULTORES DE PORTUGAL
Responsável pelo projeto: João Mira
Site do projeto: http://www.frutadragao.com/
Área do plano de ação: Outras culturas permanentes
Parceiros:

CONSULAI - CONSULTORIA AGRO-INDUSTRIAL, LDA; DESAFIOTROPICAL - LDA ; LUÍS SABBO, FRUTAS DO ALGARVE, LDA; MIL PLANTAS -PRODUÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE PLANTAS LDA.; UNIVERSIDADE DO ALGARVE


Prioridade do FEADER: P2A) melhoria do desempenho económico de todas as explorações agrícolas e facilitação da restruturação e modernização das explorações agrícolas, tendo em vista nomeadamente aumentar a participação no mercado e a orientação para esse mesmo mercado, assim como a diversificação agrícola;
Identificação do problema ou oportunidade que se propõe abordar:

A produção e a procura mundial de frutos exóticos têm denotado um crescimento acentuado nos últimos anos, com aumento significativo nos países mais desenvolvidos da Europa. À semelhança de outros frutos, Portugal, pela sua dimensão, não pode competir em volumes de produção, mas pode deter um papel importante no que se refere à produção diferenciada pela qualidade. A região do Algarve apresenta condições ímpares no que se refere ao cultivo de algumas espécies fruteiras exóticas, tendo em conta as condições edafoclimáticas da região. Tal facto, permite produzir com qualidade fruta temporã que se apresenta no mercado fora da época normal de produção e por isso, poderá ser comercializada no mercado nacional e internacional com preços vantajosos, com maior margem para o agricultor do sul do país.

Considerando a auscultação efetuada junto dos principais operadores frutícolas da região do Algarve, verificou-se a necessidade de diversificar as culturas tradicionais, no sentido de produzir frutas exóticas com elevado potencial agronómico e com boa aceitação no mercado nacional e internacional. Dentro destas frutas exóticas, considera-se uma oportunidade inovar/desenvolver tecnologias de produção sustentáveis e competitivas para a “Pitaia Vermelha” (Hylocereus sp.), com a casca vermelha e a polpa branca ou vermelha, dependendo da espécie. É um fruto que apresenta altas produções, com viabilidade económica em terrenos de pequenas dimensões (uma boa solução para o pequeno agricultor) nas condições de clima e solos da região Algarvia e é, por outro lado, um fruto que tem registado um aumento acentuado de procura e de preço de comercialização. Assim, considera-se que estamos perante uma oportunidade de inovar com a eficiência na utilização dos fatores de produção e o alargamento da época de produção. Paralelamente, pretende-se também inovar numa ótica de competitividade e desenvolvimento de um novo nicho de mercado.


Objetivos visados:

O objetivo principal deste GO visa inovar ao nível das tecnologias de produção para a PITAIA VERMELHA, de polpa vermelha e de polpa branca, tirando vantagem competitiva da região do Algarve pelas suas ótimas condições edafoclimáticas, permitindo ter produção ao longo de todo o ano com vista à satisfação do mercado nacional e internacional (produtividade, qualidade e diferenciação de mercado). Assim pretende-se analisar as características das 2 espécies: Hylocereus costaricensis, onde as frutas apresentam coloração vermelha tanto na casca como na polpa, e a Hylocereus undatus, que apresenta coloração vermelha na casca e polpa branca, nomeadamente testar a produtividade, rusticidade, qualidade dos frutos e características organoléticas de cada uma.

1. Implantação de campos de testagem da PITAIA VERMELHA

- Instalação de campos de ensaios para as duas espécies a testar;

- Implementação de práticas culturais diferenciadas.

2. Monitorização de campos de testagem da PITAIA VERMELHA

- Monitorização da evolução da planta de acordo com os diferentes parâmetros agronómicos definidos;

- Avaliação e monitorização da fitopatologia da planta;

- Quantificação de bioatividades.

3. Validação de dados agronómicos e de produtividade e qualidade dos frutos

- Obtenção e tratamento estatístico de dados dos campos de testagem;

- Definição de práticas agronómicas e de viabilidade agronómica para cada espécie testada (polpa vermelha e polpa branca).

4. Divulgação e disseminação

- Promover a cultura melhorada de Pitaia Vermelha (polpa vermelha e polpa branca);

- Divulgar potencial da cultura;

- Disseminar vantagens económicas e financeiras da Pitaia Vermelha como cultura alternativa.


Sumário do plano de ação:

Avaliação do impacto de diferentes práticas culturais na capacidade produtiva da PITAIA VERMELHA no sul do país. Testagem de cultura alternativa, altamente rentável, dirigida para o mercado nacional e internacional.


Pontos de situação / Resultados:

Ponto situação (Fevereiro 2021)

O Grupo Operacional (GO) Fruta Dragão tem como principal objetivo validar a capacidade produtiva da Pitaia. Iniciado em 2018 e em execução até ao final de 2021, este projeto é liderado pela Associação de Jovens Agricultores de Portugal (AJAP) e conta com mais cinco parceiros: CONSULAI, Universidade do Algarve e as empresas Mil Plantas, Luis Sabbo – Frutas do Algarve e Desafio Tropical.O Grupo Operacional (GO) Fruta Dragão tem como principal objetivo validar a capacidade produtiva da Pitaia. Iniciado em 2018 e em execução até ao final de 2021, este projeto é liderado pela Associação de Jovens Agricultores de Portugal (AJAP) e conta com mais cinco parceiros: CONSULAI, Universidade do Algarve e as empresas Mil Plantas, Luis Sabbo – Frutas do Algarve e Desafio Tropical.

Durante o mês de dezembro, no dia 09, o GO foi divulgado através da apresentação de um póster “Comparison of organoleptic characteristics of different species of pitaya", pela Ana Rita Cabrita Trindade, durante o V Encontro de Estudantes de Doutoramento em Ambiente e Agricultura (EEDAA), na Universidade de Évora. No passado dia 10 de dezembro de 2020, à semelhança do GO Gojiberries, o GO Fruta Dragão participou também no Congresso de Fruticultura da Feira Frutos 2020 “Inovação e estratégia para a fruticultura nacional”. Pode (re)ver o evento e a participação do Grupo Operacional aqui:https://www.frutadragao.com/post/participa%C3%A7%C3%A3o-no-congresso-dos-frutos-2020

Neste evento, o professor Amílcar Duarte, da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade do Algarve, apresentou um poster com os principais resultados obtidos até à data. Ana Rita Cabrita Trindade respondeu ainda a algumas questões colocadas pelos participantes na sessão. Sendo uma cultura relativamente nova em Portugal, surgiram muitas curiosidades acerca das variedades estudadas neste projeto e de alguns pontos importantes na implementação das mesmas no pomar, como o compasso de plantação, polinização e outros. Houve ainda algum tempo para troca de experiências sobre a produção de Pitaia, no Brasil. Ainda durante este semestre, o GO Fruta Dragão esteve em destaque no "Favas Contadas", uma rúbrica do YouTube produzida pela CONSULAI. Pode (re)ver a entrevista em: https://www.youtube.com/watch?v=2yo31FmdVuI&feature=emb_title 

O objetivo principal deste GO visa inovar ao nível das tecnologias de produção para a PITAIA VERMELHA, de polpa vermelha e de polpa branca, tirando vantagem competitiva da região do Algarve pelas suas ótimas condições edafoclimáticas, permitindo ter produção ao longo de todo o ano com vista à satisfação do mercado nacional e internacional (produtividade, qualidade e diferenciação de mercado).

Assim,  até ao momento, foi promovida uma forte divulgação da cultura, através de dois dias abertos, várias publicações e ainda através de múltiplos contactos pelas redes sociais e outros.

Demonstrou-se ainda que a cultura é viável no Algarve e que a entrada em produção pode ocorrer logo no segundo ano após a plantação. Verificou-se que há uma boa aceitação por parte dos consumidores relativamente aos frutos de pitaia, sobretudo no que diz respeito à pitaia vermelha de polpa branca (Hylocereus undatus).

No site do projeto (www.frutadragao.com) estão disponíveis notícias e informações sobre a cultura. Em breve, serão também divulgados os resultados do projeto.