Inovação para a Agricultura

FacebookTwitterGoogle BookmarksRSS Feed
PT EN
  • S3
  • S14
  • Inovação na Agricultura
  • S7
  • S2
  • S6
  • S11
  • S13
  • S8
  • S5
  • S12

STEnCIL - SusTentável EfiCIente Lablab

Entidade líder do projeto: INSTITUTO SUPERIOR DE AGRONOMIA
Responsável pelo projeto: Patrícia Vidigal
Área do plano de ação: Cultura de leguminosas secas e sementes oleaginosas
Parceiros:

BENAGRO - COOPERATIVA AGRÍCOLA DE BENAVENTE, CRL; CCTI - ASSOC. PARA A INVEST., DESENV., E INOVAÇÃO NO SETOR; ISABEL MARIA DOS SANTOS GUIOMAR; SOCIEDADE AGRÍCOLA ORTIGÃO COSTA, LDA; SOCIEDADE AGRO-PECUARIA DO VALE DA ADEGA S.A.; SOLUZER - SOCIEDADE AGRICOLA, LDA; TPRO - TECHNOLOGIES, LDA;


Prioridade do FEADER: P4) Restaurar, preservar e melhorar os ecossistemas ligados à agricultura e à silvicultura;
Identificação do problema ou oportunidade que se propõe abordar:

Face aos desafios relacionados com a sustentabilidade agrícola e alimentar, pretende-se com esta iniciativa, promover a prática agrícola da leguminosa Lablab purpureus (feijão cutelinho) de forma a restaurar e preservar os recursos naturais existentes, melhorando a capacidade produtiva das culturas, reduzir a emissão de Gases de Efeito de Estufa (GEE), por diminuição do uso de adubos azotados e de outros fatores de produção.

Assim STEnCIL aborda 7 questões essenciais associadas à rentabilização e sustentabilidade da produção agrícola e da cadeia alimentar, dando resposta a problemáticas tanto nacionais como internacionais:

(1) Sustentabilidade do recurso solo;

(2) Sustentabilidade do recurso água;

(3) Adaptação às alterações climáticas;

(4) Redução da emissão de GEE;

(5) Produção de um produto para alimentação humana e animal sustentável;

(6) Fortalecer o regime nacional de certificação ambiental para as explorações especializadas no tomate para indústria;

(7) Rentabilidade dos terrenos marginais.

As características multifuncionais do feijão cutelinho referidas mais à frente, aliadas às tecnologias agrícolas inovadoras possibilitarão aos agricultores e aos consumidores, benefícios para a produção e saúde, respetivamente.


Objetivos visados:

STEnCIL compreende 3 objetivos principais:

> Objetivo 1: Determinar as melhores variedades de feijão cutelinho de acordo com os objetivos de produção: a) Grão/vagem b) Forragem c) Adubo verde.

> Objetivo 2: Determinar as melhores práticas culturais (fatores de produção, mobilizações, colheita) segundo os objetivos de produção.

> Objetivo 3: Avaliação da produtividade do feijão cutelinho no âmbito socioeconómico segundo os objetivos de produção e os potenciais destinatários.

A determinação das melhores variedades de feijão cutelinho permitirá obter uma produtividade competitiva, por pré-seleção da variedade mais adequada ao objetivo de produção do agricultor. A imposição das práticas de greening standard e/ou da prática equivalente de greening (cobertura do solo durante o período de outono-inverno nas terras aráveis da exploração) obrigará à procura de soluções rentáveis, abrindo um potencial de "experimentação comparativa" face às rentabilidades do feijão cutelinho. Por outro lado, produtores de culturas de elevado valor económico como o tomate de indústria, poderão produzir o de feijão cutelinho para adubo verde, com o objetivo de melhorar a fertilidade e estrutura do solo para beneficiação da sua cultura principal. Cumulativamente, a produção animal terá uma nova forrageira de grande potencial. Agricultores de regiões com menor desenvolvimento e/ou com terrenos negligenciados, poderão usufruir do impacto positivo na reabilitação do sistema, obtendo ao mesmo tempo um rendimento extra.


Sumário do plano de ação:

A proposta STEnCIL - SusTentável EfiCIente Lablab, foca-se na promoção da Lablab purpureus (feijão cutelinho), como prática produtiva no âmbito PDR 2020 para o aumento da eficiência dos recursos na produção agrícola.


Pontos de situação / Resultados:

Os resultados deste GO foram apresentados no âmbito do "6º Open Day Tomate-Indústria" promovido pelo CCTI - Centro de Competências para o Tomate-Indústria e que se realizou na manhã do dia 26 de novembro, na sala de conferências do Museu do Vinho, Cartaxo. 

Comunicado de imprensa sobre o projeto no âmbito do primeiro dia mundial das leguminosas.