Inovação para a Agricultura

FacebookTwitterGoogle BookmarksRSS Feed
PT EN
  • S8
  • S14
  • S7
  • S11
  • S3
  • S5
  • S10
  • S2
  • S6
  • S13
  • S12

DivInA- DIVersificação e INovação na produção Apícola

Entidade líder do projeto: INSTITUTO POLITECNICO DE BRAGANÇA
Responsável pelo projeto: Miguel Vilas Boas
Site do projeto: http://esa.ipb.pt/~divina
Área do plano de ação: Apicultura
Parceiros:

AALBA - COOPERATIVA DE PRODUTORES DE MEL CRL; AGRUPAMENTO DE PRODUTORES DE MEL DO PARQUE LDA; FEDERACAO NACIONAL DOS APICULTORES DE PORTUGL (FNAP); INSTITUTO NACIONAL DE INVESTIGAÇÃO AGRÁRIA E VETERINÁRIA; JOÃO GUILHERME ESPIRITO SANTO FERREIRA NETO;IP JOSE ANTONIO LOURO VICENTE; UNIVERSIDADE DE TRÁS OS MONTES E ALTO DOURO


Prioridade do FEADER: P2A) melhoria do desempenho económico de todas as explorações agrícolas e facilitação da restruturação e modernização das explorações agrícolas, tendo em vista nomeadamente aumentar a participação no mercado e a orientação para esse mesmo mercado, assim como a diversificação agrícola;
Identificação do problema ou oportunidade que se propõe abordar:

A atividade apícola em Portugal está quase exclusivamente direcionada para a produção de mel representando as 10500 toneladas produzidas em 2014 (INE, 2014) um valor superior a 50 milhões de euros. A dinâmica deste setor tem-se revelado forte e progressiva, surgindo, em resposta às dificuldades conjeturais por que o país tem passado, novos apicultores, atraídos também pelos preços elevados do mel no mercado internacional. Esta valorização rápida dos preços em conjunto com a concentração da atividade na produção exclusiva de mel provoca uma dependência perigosa da flutuabilidade dos mercados internacionais, antecipando-se a curto prazo dificuldades na sustentabilidade das explorações apícolas. A riqueza proporcionada pelas abelhas ao apicultor e ao ecossistema permitem encontrar no interior da colmeia soluções para inovar e diversificar a rentabilidade das explorações apícolas, colocando ao dispor do apicultor um leque de produtos muito diversificado e com enormes potencialidades na indústria alimentar e farmacêutica, tais como a produção de pólen, própolis, geleia real, apitoxina, pão de abelha, entre outros. Infelizmente, e conforme referido no Programa Apícola Nacional 2014-20161, a maior parte dos apicultores Portugueses tem uma informação limitada sobre o mercado dos produtos apícolas que não mel, menorizando as potencialidades da sua própria exploração. Por outro lado, a inexistência de uma oferta, condiciona a procura destes produtos aos mercados internacionais, em particular a indústria, atrofiando desde logo a criação de canais comerciais. Efetivamente, em Portugal, e de uma forma genérica no resto da EU, não são conhecidos quaisquer dados de produção e comércio de outros produtos apícolas para além do mel, pelo que se torna evidente a necessidade de reverter a situação, com benefícios claros para a rentabilidade das unidades de exploração apícola. 1 - http://www.gpp.pt/MA/apicultura/PAN2014-2016%20FINAL%20rev18.05.2015.pdf.


Objetivos visados:

O objetivo global desta proposta visa diversificar a produtividade da atividade apícola com vista ao aumento da sua rentabilidade e garantia de sustentabilidade, explorando outros produtos que diminuam a dependência dos apicultores na produção de mel, focando-se em particular na produção de apitoxina, pão-de-abelha, pólen, própolis, produtos com elevado potencial no mercado, em particular no mercado internacional. Esta diversificação passará por desenvolver tecnologicamente procedimentos de produção adaptando as metodologias aplicadas noutros países às caraterísticas da apicultura Portuguesa, nomeadamente, ao nível das ferramentas aplicadas, especificidades produtivas da abelha nativa, Apis mellífera iberiensis, características da flora envolvente e das condições climáticas, as quais oscilam significativamente em Portugal dependendo da região.

Deste trabalho resultará um conjunto de ferramentas e utensílios, bem como recomendações das condições técnicas mais adequadas para a maximização destas produções, sempre com a garantia da qualidade dos produtos finais. A apropriação da informação por parte dos apicultores é outro dos objetivos da proposta e será atingida pela constituição de diversos campos experimentais para demonstração, em regiões do país com condições edafo-climáticas distintas. Na sequência deste envolvimento é expectável atingir níveis de produção com capacidade de autonomizar o acesso aos mercados, e promover exportação de bens.

A escassa informação existente sobre a qualidade destes produtos com origem nacional, implicará a avaliação das suas caraterísticas e propriedades de modo a promover a sua valorização, mas também a garantir um controlo de qualidade e rastreabilidade. Essa avaliação será utilizada para a definição de critérios de qualidade destes produtos apícolas com vista à instrução de futuras normas regulamentares de qualidade dos produtos apícolas para além do mel.


Sumário do plano de ação:

A atividade apícola em Portugal tem revelado uma dinâmica forte e progressiva, mas exclusivamente direcionada para a produção de mel. O grupo operacional DivInA pretende apresentar alternativas que fortaleçam ainda mais essa dinâmica, propondo ao apicultor diversificar a produção explorando outros produtos que diminuam a atual dependência do mel, contribuindo para um aumento da rentabilidade e sustentabilidade da exploração. A diversificação passará em particular pela produção de apitoxina, pão-de-abelha, pólen, própolis, produtos com elevado potencial no setor alimentar e farmacêutico, e em particular no mercado internacional.

O GO terá por objetivo desenvolver tecnologicamente e disseminar procedimentos de produção adaptados às especificidades da apicultura Portuguesa, nomeadamente, ao nível das ferramentas, caraterísticas produtivas da abelha nativa, Apis mellífera iberiensis, e da flora envolvente e das condições climáticas, as quais oscilam em Portugal dependendo da região.


Pontos de situação / Resultados:

Últimos eventos: XIX Fórum Nacional de Apicultura, 16-18 Novembro 2019

O projeto DivInA esteve presente no XIX Fórum Nacional de Apicultura que decorreu em Novembro último em Castelo Branco, com a realização de quatro seminários práticos. Ao longo do dia foram vários os técnicos e apicultores que puderam partilhar das experiências na produção de própolis e pólen. Estes seminários realizados pelos parceiros do Grupo Operacional DivInA são catalisadores para que novos apicultores diversifiquem as suas produções apícolas.

Notícias: APINFO Federação Nacional dos Apicultores de Portugal, outubro 2017