Inovação para a Agricultura

PT EN
FacebookTwitterGoogle BookmarksRSS Feed
  • S14
  • S3
  • S13
  • S2
  • S6
  • S7
  • S11
  • S12
  • S8
  • S10
  • S5

 Projetos dos Grupos Operacionais

Pesquisar projectos

Área plano de acção

Prioridade do FEADER

Waste2Value - Integração da valorização de subprodutos da atividade agrícola com a produção de alimentos compostos para animais, plásticos biodegradáveis e tratamento de efluentes animais.

Coordenador do GO: ASSOCIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO DÃO LAFÕES E ALTO PAIVA
Ponto de Contacto: Alfredo Simões (addlap@mail.telepac.pt)
Área do plano de ação: Cultura de especiarias, plantas aromáticas, medicinais
Parceiros:

ANCOSE - ASSOCIACAO NACIONAL DE CRIADORES DE OVINOS SERRA DA ESTRELA; ERVITAL, LDA; INDUMAPE - INDUSTRIALIZAÇÃO DE FRUTA S.A.; INSTITUTO POLITECNICO DE VISEU; OVARGADO-SOCIEDADE COMERCIAL E INDUSTRIAL DE ALIMENTOS PARA ANIMAIS S.A.; SILVEX - INDÚSTRIA DE PLÁSTICOS E PAPÉIS, S.A.; UNIVERSIDADE DE AVEIRO; VASCO PINTO & AGOSTINHO SOUSA PRODUTOS HORTICOLAS E ERVAS AROMATICAS LDA


Prioridade do FEADER: P5C) facilitação do fornecimento e utilização de fontes de energia renováveis, de subprodutos, resíduos e desperdícios e de outras matérias-primas não alimentares para promover a bioeconomia;
Identificação do problema ou oportunidade que se propõe abordar:

A produção agrícola em Portugal gera elevadas quantidades de diferentes subprodutos que maioritariamente são escoados para alimentação animal direta ou para aterro sanitário. A UE promove e incentiva o aproveitamento desses materiais de forma a criar valor acrescentado, recuperar e reciclar materiais que possam ser usados em outras aplicações e, assim, contribuir como alternativa ao uso de recursos naturais escassos. A oportunidade de valorizar subprodutos da atividade agrícola surge como uma necessidade dos produtores e da sociedade para a produção sustentável de alimentos. Apesar da oportunidade estar identificada, a sua concretização tem sido inviabilizada dada a perecibilidade dos subprodutos agrícolas. No entanto, a oportunidade surge através de tecnologias recentes que utilizam energia renovável, de reduzida dimensão e de fácil implementação junto dos produtores, e que permitem a estabilização por secagem, viabilizando o seu armazenamento e transporte.

O Grupo Operacional Waste2Value junta produtores agrícolas e de pecuária, as suas associações, indústria de primeira transformação e investigadores que, em parceria, promovem a valorização de subprodutos através de aplicações associadas a preocupações de saúde pública e utilização de práticas ambientalmente sustentáveis. Há uma grande necessidade de explorar estratégias alternativas para reduzir o uso de antibióticos em alimentos compostos para animais (ACA) face à crescente resistência de bactérias patogénicas. A incorporação de prebióticos e fitobióticos de subprodutos pode traduzir-se numa redução eliminação dessas práticas. Os subprodutos que não são nutricionalmente adequados à incorporação em ACA ou os resíduos provenientes da extração dos compostos de interesse poderão ser aproveitados como materiais poliméricos biodegradáveis para uso agrícola e/ou transformados em produtos carbonáceos para tratamento de efluentes animais, diminuindo a sua carga orgânica, a emissão de gases com efeito de estufa e também de antibióticos de uso veterinário.


Objetivos visados:

Pretende-se criar uma parceria de interesse para as empresas agrícolas e pecuárias e indústria de ACA, em colaboração com investigadores da UA e IPV para valorizar subprodutos de origem vegetal e efluentes animais. Procura-se minimizar o impacto ambiental e valorizar subprodutos agrícolas, cujo valor económico é residual, através de um processo holístico e sustentável de obtenção de compostos e materiais diferenciados. Pretende um processo único de extração sequencial, aplicado ao conjunto de subprodutos, que englobe a grande heterogeneidade sazonal decorrente da atividade agrícola e dos critérios de aceitação de hortofrutícolas que entram nos circuitos de distribuição.

Os objetivos específicos são:

1) Obter, a partir dos subprodutos sazonais produzidos pelas empresas participantes, compostos de valor acrescentado, nomeadamente compostos terpénicos, fenólicos, sulfurados e oligossacarídeos com propriedades prebióticas e antimicrobianas, e aplicá-los como ingredientes em ACA, visando reduzir ou eliminar a utilização de antibióticos em sistemas intensivos de produção animal;

2) Utilizar o material não extraído, quando nutricionalmente atrativo, como matéria prima que valorize os subprodutos para ACA;

3) Aproveitar como materiais poliméricos para produção de plásticos biodegradáveis para agricultura os subprodutos não adequados ao aproveitamento nutricional e/ou os resíduos provenientes da extração dos compostos de interesse;

4) Obter, a partir dos subprodutos mais fibrosos e lenhificados, materiais carbonáceos para remoção de antibióticos, redução da emissão de gases com efeito de estufa e da carga orgânica em efluentes animais;

5) Efetuar um levantamento de dados para caracterização de subprodutos agrícolas e efluentes animais na região Centro, enquanto principal zona de ação do consórcio. A informação recolhida irá servir para a ação e aplicação abrangentes do aproveitamento de subprodutos de origem vegetal e criação de um portfólio de aplicações com vista à valorização dos subprodutos e efluentes.


Sumário do plano de ação:

O Grupo Operacional Waste2Value agrega produtores do setor agrícola, as suas associações, a indústria de primeira transformação e investigadores que, em parceria, promovem a valorização de subprodutos através de aplicações associadas a preocupações de saúde pública e utilização de práticas ambientalmente sustentáveis. Através de um processo holístico e sustentável aplicado ao conjunto de subprodutos, que engloba a grande heterogeneidade sazonal decorrente da atividade agrícola ou da primeira transformação, irá ser obtido um conjunto de materiais com finalidades diversas. Parte destes materiais será incorporada em alimentos compostos para animais com a perspetiva nutricional e de fitobióticos, explorando estratégias alternativas para melhorar a saúde animal e, assim, reduzir o uso de antibióticos.

Os subprodutos que não forem adequados à incorporação em alimentos compostos para animais, ou os resíduos provenientes da extração dos compostos de interesse, serão utilizados como materiais poliméricos biodegradáveis para produção de bioplásticos de uso agrícola e/ou transformados em produtos carbonáceos para tratamento de efluentes animais, contribuindo para a diminuição da carga orgânica e de antibióticos de uso veterinário. A recolha de informação sobre subprodutos agrícolas e efluentes animais na região Centro, enquanto principal zona de ação do consórcio, servirá de base a um trabalho de caracterização desses subprodutos e criação de um portfólio de aplicações com vista à sua valorização.


Pontos de situação do GO:

Foi apresentado póster  no X Biochemistry Day que decorreu no dia 18 abril de 2018 na Universidade de Aveiro, tendo sido reconhecido com uma menção honrosa. O trabalho foi realizado no âmbito do projeto Waste2Value e teve como objetivo a valorização dos caules e ramos de Segurelha (Satureja montana), subprodutos agroindustriais fornecidos pela Ervital - infusões e condimentos biológicos. Estes subprodutos são obtidos após a remoção das folhas , sendo até ao momento resíduos descartados e não valorizados. Neste trabalho, foram obtidos óleos essenciais a partir dos subprodutos de segurelha por hidrodestilação e hidrodestilação assistida por micro-ondas, sendo posteriormente caracterizados por GC-MS. Maioritariamente , estes são constituídos por monoterpenóides, especialmente carvacrol. Os primeiros ensaios microbiológicos revelaram grande potencial antimicrobiano contra bactérias Gram-positivas e Gram-negativas, provavelmente devido à alta concentração de carvacrol.

Este GO foi também apresentado no Agri-Innovation Summit 2017. O póster apresentado pode ser visto  aqui.