Inovação para a Agricultura

Rede Rural Nacional - Página do FacebookRede Rural Nacional - Página do TwitterRede Rural Nacional - Página do InstagramRede Rural Nacional - Canal do Youtube
PT EN
  • S11
  • S14
  • S5
  • S8
  • S13
  • S3
  • S7
  • S12
  • Inovação na Agricultura
  • S2
  • S6


Declínio do Montado no Alentejo

Entidade líder do projeto: ASSOCIAÇÃO DE CRIADORES DE PORCO ALENTEJANO
Responsável pelo projeto: Nuno Faustino
Área do plano de ação: Outras culturas permanentes
Parceiros:

ANCPA - ASSOCIAÇÃO DOS CRIADORES DO PORCO ALENTEJANO; BARRANCARNES TRANSFORMAÇÃO ARTESANAL SA; DUARTE NUNO SALVADOR SIMÕES; INSTITUTO DA CONSERVAÇÃO DA NATUREZA E DAS FLORESTAS, I.P ; INSTITUTO NACIONAL DE INVESTIGAÇÃO AGRÁRIA E VETERINÁRIA IP; MANUEL ANEMECIO LOURENCO; MONTARAZ DE GARVAO TRANSFORMAÇÃO ARTESANAL DE PORCO ALENTEJANO LDA


Prioridade do FEADER: P4) Restaurar, preservar e melhorar os ecossistemas ligados à agricultura e à silvicultura;
Identificação do problema ou oportunidade que se propõe abordar:

A carne e os produtos transformados de Porco Alentejano de extensivo são produtos de enorme qualidade, reconhecidos a nível mundial, dependente tanto do tipo racial como do maneio alimentar, este último à base de bolota e erva provenientes do Montado. No entanto, com a problemática do declínio dos Montados, verificada nas últimas décadas, tanto a produção como a qualidade da bolota estão a diminuir. A evidente perda de vitalidade das árvores, com reduzida taxa de renovo e o elevado número de mortes, em muitas áreas, são uma ameaça à preservação do sistema montado. A mortalidade de sobreiros reflecte-se numa diminuição da densidade do arvoredo de 13% entre 1995 e 2005, em povoamentos com densidade inferior a 40 árvores/ha, sobretudo no centro e sul do país. Em 2010 verificou-se que mais de 50% dos povoamentos de sobro e azinho apresentavam sintomas de declínio ligeiros (sobreiro-50%; azinheira-68%) e entre 4 e 10% sinais acentuados (sobreiro-9%;azinheira-4%).

No interior do país, a situação da azinheira parece mais alarmante, pois nalguns locais observa-se mais de 90% de árvores mortas. O aumento de produção e da qualidade da bolota são cruciais para toda a fileira do Porco Alentejano. A redução da produtividade do Montado é um dos constrangimentos que preocupam os agentes económicos ligados à fileira do Porco Alentejano. A mitigação do declínio enquadra-se nas missões do Centro de Competências do Porco Alentejano e do Montado, através da salvaguarda do Montado, designadamente através da promoção de:

-Uma gestão sustentável das explorações, contribuindo para a diferenciação e valorização do produto Português;

-Estratégias de investigação aplicada à recuperação e conservação do Montado e à melhoria e incremento da produção de bolota e de lande;

-Tecnologias agroflorestais inovadoras e amigas do sistema Montado;

-Partilha de conhecimento entre as várias entidades, com o intuito de dar resposta de forma mais rápida e eficaz aos diversos constrangimentos.


Objetivos visados:

Esta proposta apresenta estratégias que visam combater o declínio associado a P. cinnamomi, através da implementação de medidas que têm por base prevenir a infestação dos solos contra o patogénio, reduzir a sua população nos solos onde se encontra instalado, o aumento da qualidade do solo, a melhoria da vitalidade das árvores e consequentemente do rendimento dos agricultores na região.

Os objectivos específicos são:

1.Reduzir o risco de infecção dos solos;

2.Melhorar o estado do solo e a sua fertilidade;

3.Seleccionar plantas dentro da vegetação natural e de pastagens as que apresentam efeito alelopático para P.cinnamomi;

4.Produzir pastagens enriquecidas com as espécies seleccionadas (com efeito alelopático);

5.Conhecer a susceptibilidade das espécies herbáceas e arbustivas à infecção, por ser fundamental para uma gestão de prevenção nas zonas não infestadas e para o controlo nas infestadas;

6.Desenvolver um Projecto-piloto para promover e ensaiar estratégias de gestão sustentáveis e inovadoras capazes de reverter o declínio e melhorar os indicadores económicos nas áreas afectadas;

7.Contribuir para a continuidade do montado com a sua paisagem tão característica e a peculiar biodiversidade que lhe está associada;

8.Divulgar e disseminar o conhecimento para todos os interessados no tema.

A concretização destes objectivos pressupõe o estudo, comparação e monitorização de vários factores em áreas de Montado com declínio, visando a mitigação da doença e a conservação do Montado existente. Este trabalho tem ainda em linha de conta a melhoria futura do sector económico associado ao montado, a qual deverá passar por uma gestão orientada para a qualidade e aumento da produção da cortiça e da bolota.


Sumário do plano de ação:

Medidas inovadoras para a mitigação do declínio do montado no Alentejo, nomeadamente para o controlo de Phytophthora, através da melhoria da fertilidade do solo, da conservação da paisagem e da sustentabilidade da fileira do Porco Alentejano.


Pontos de situação / Resultados:

Síntese do estado de execução do projeto:

Maio de 2018 - colheitas de amostras de terra para as análises e as respectivas correcções de solo nos dois montados em Ourique para instalação de campos de ensaio.

Novembro 2018 - Instalação de talhões em dois montados do concelho de Ourique,com fertilização (adubação e calagem) e sementeira de pastagem mista de acordo com os resultados das análises de solo dos montados.

Desde Dezembro 2018 – ensaio de multiplicação de sementes, das plantas selecionadas pela equipa (em ensaios de laboratório) instalado na Companhia das Lezírias; o objectivo é a obtenção de sementes em quantidade suficiente para enriquecimento das pastagens instaladas em 2018 nos talhões instalados em dois campos de ensaio sediados no concelho de Ourique. As tarefas de campo da responsabilidade do INIAV encontram-se com algum atraso. Além do projecto ter iniciado seis meses depois do previsto (Outubro de 2017) apanhou uma época muito chuvosa no outono, o que impediu que as tarefas previstas para essa altura não fossem realizadas.

A colocação das cercas e redes nos dois talhões de experimentação para avaliação da sua produtividade só foi possível ser executada em Novembro de 2019, pelo que só em 2020 se dará início à colheita de dados.Durante 2018 e 2019 produziram-se, em estufa, plantas de Diplotaxis tenuifolia, Eruca vesicaria e Raphanus raphanistrum a partir de semente para obtenção de extractos radiculares. Fizeram-se ainda extractos radiculares de plantas das mesmas espécies, mas colhidas no campo. Estes extractos foram utilizados em ensaios in vitro e in vivo para testar o seu efeito inibitório na actividade de Phytophthora cinnamomi (fitóftora). 
Ainda em condições de estufa conduziram-se ensaios com espécies herbáceas, muitas delas presentes em montados, para perceber qual o seu papel no declínio do montado associado a fitóftora. Avaliou-se a susceptibilidade de onze espécies (Poaceae e Fabaceae) e utilizou-se Lupinus luteus como controlo positivo, por ser uma espécie comprovadamente susceptível.
Em ensaios in vitro (2018 e 2019) testou-se a eficácia dos produtos extraídos das raízes das plantas acima referidas na actividade de fitóftora. Nos ensaios in vivo a eficácia na inibição do extracto de D. tenuifolia foi avaliado utilizando plantas jovens de azinheira e sobreiro.  
Iniciou-se ainda um estudo do crescimento bacteriano desenvolvido em suspensões de solo não estéril quando adicionados os extractos e em presença de fitóftora. Os resultados deste estudo ainda se encontram em avaliação.
Para a elaboração do mapa de risco de infecção dividiu-se o concelho de Ourique em quatro zonas com áreas de montado com e sem declínio. Nestes montados estão a ser avaliados os seguintes parâmetros: a gestão, o tipo de solo, a vegetação natural presente, a quantificação da população de fitóftora no solo e a extensão das árvores doentes e mortas. Foram elaborados 17 inquéritos. Esta tarefa será finalizada durante 2021.

Principais resultados:

1- Lista de plantas herbáceas, utilizadas em pastagens, hospedeiras e não hospedeirasde fitóftora.
Verificou-se que algumas plantas herbáceas em solo (em vaso com solo natural) infestado com fitóftora apresentaram uma redução na sua biomassa radicular, embora não tenham sido observados sintomas ou se tenha detectado o fungo nos seus tecidos (ex: Trifolium subterraneum, T. repens). Noutras espécies, pelo contrário, a presença do patogénio induziu um incremento na sua massa radicular (ex: Lolium perenne). De facto, ainda pouco se conhece sobre o papel destas espécies na interacção do patogénio com o meio ambiente (Rodríguez-Romero et al., 2019-b.

2-  Ensaios in vitro do efeito inibitório dos extractos aquosos radiculares (EAR) na actividade de fitóftora
Estes ensaios mostraram que os extractos de Diplotaxis tenuifolia, Eruca vesicaria e Raphanus raphanistrum inibiram a actividade de fitóftora, quer em condições estéreis, quer em suspensão de solo não estéril. A inibição foi quantificada através do desenvolvimento micelial e da produção de estruturas assexuadas (esporângios e clamidósporos). A libertação de zoósporos, quando observada, apresentou elevada redução na sua mobilidade e um rápido enquistamento, em particular, na presença do extracto de D. tenuifolia, o que é um bom indicador na redução da actividade infecciosa do patogénio (Rodríguez-Romero, et al., 2018-a).

3 - Ensaios in vivo do efeito inibitório do extracto aquoso radicular de Diplotaxis tenuifolia na infecção por fitóftora em plantas jovens de sobreiro e azinheira. O EAR de Diplotaxis tenuifolia numa concentração baixa mostrou uma boa eficácia na inibição da infecção causada por fitóftora. As plantas de sobreiro e azinheira com as raízes emersas numa suspensão de solo infestada com unidades infecciosas de fitóftora onde tinha sido adicionado o EAR não foram infectadas. O EAR inibiu a infecção. O ensaio decorreu em suspensão de solo não estéril e infestada com uma suspensão de zoósporos de fitóftora viáveis (Rodríguez-Romero, et al., 2018-a).

4 - Estudo das bactérias associadas à actividade antagonista dos extractos aquosos radiculares (EAR)
Observou-se que as suspensões de solos onde foram adicionados os EAR de Diplotaxis tenuifolia, Eruca vesicaria e Raphanus raphanistrum com suspensão de zoósporos de fitóftora, ao fim de 24 horas, apresentavam-se menos transparentes comparativamente com a suspensão de solo sem EAR. A turvação observada era resultado dum rápido crescimento bacteriano. Os EAR   na presença de fitóftora parece estimularem o crescimento bacteriano. O mesmo não se verificou, nos controlos, isto é, nas suspensões de solo, sem inóculo de fitóftora, ou quando não era adicionado EAR. Presentemente, procede-se à identificação das bactérias já isoladas, por técnicas de biologia molecular e continuam-se os estudos para poder entender melhor este fenómeno.

Cronograma dos eventos a realizar

Novembro 2020 e Primavera e outono 2021
Talhões de demonstração

- Avaliação do crescimento, através da colocação de dendrómetros em árvores selecionadas (sobreiros e azinheiras)

- Avaliação da produtividade, colheita da bolota nas árvores previamente marcadas e nos campos de experimentação.

2021
Laboratório e estufa

- Avaliação in vivo da inibição das plantas selecionadas na actividade de fitóftora

- Avaliação in vivo da inibição das plantas selecionadas na actividade de fitóftora-terminar lista de plantas hospedeiras e não hospedeiras de fitóftora

Notícias/ Artigos:

- Moreira, AC., Calha I., Passarinho JA., Sampaio, AR. 2019. Anti-Phytophthora activityof root extracts from herbaceous species. Efeito inibitório de extractos radiculares deplantas herbáceas na actividade de Phytophthora cinnamomi (in press Revista deCiências Agrárias).

- Rodríguez-Romero M, Godoy B, Neno J, Calha IM, Passarinho JA, Moreira AC (2019a). Chemical characterization of the phenolic and volatile compounds from roots extracts of three Brassicaceae species and their anti-Phytophthora activity. Oral communication presented in 9th Meeting of the IOBC-WPRS working group “INTEGRATED PROTECTION IN OAK FORESTS”. Oeiras, Outubro 2019.

- Rodríguez-Romero M, Calha IM, Passarinho JA, Moreira AC (2019b). Susceptibility of the Herbaceous Species Used as Pastures in DEHESA/MONTADO to Phytophthora cinnamomi. Communication presented in 9th Meeting IUFRO- Phytophthora in Forest and Natural Ecosystems, 17-25 October, 2019, La Maddalena, Sardinia, Italy.

- Rodríguez-Romero, M., Godoy, B.1, Calha, I.M., Passarinho, J.A. and Moreira, A.C. (2018). Evaluation of allelopathic potential of Brassicaceae root extracts on Phytophthora cinnamomi activity obtained by three extraction methods. Comunicação em painel apresentada no XIX Congreso de La Sociedad Española de Fipatologia que teve lugar em Toledo, Espanha nos dias 8-11 de Outubro de 2018.

- Moreira AC, Calha I, Passarinho JA. and Sampaio AR. (2018). Anti-Phytophthora activity of root extracts from herbaceous species. Revista das Ciências Agrárias 41 (Especial): 39-47.

- A.C.Moreira, I.M.Calha, J.A.Passarinho , A.R.Sampaio. 2017 O Declínio do Montadoem Portugal. Selecção de plantas com efeito alelopático. Comunicação oralapresentada na Jornada “Decaimiento de las quercíneas” (Oak decline), Jerez de LaFrontera: 26 y 27 Outubro 2017.

- A.C.Moreira. Declínio do Montado em Portugal. Comunicação oral apresentada na XIVJORNADAS IBÉRICAS DO MONTADO-Feira de Portel no dia 30 de Novembro de 2017.-Rodríguez-Romero, M, Godoy, B, Calha, I.M, Passarinho, J.A and Moreira, A.C. 2018.Evaluation of allelopathic potential of Brassicaceae root extracts on Phytophthoracinnamomi activity obtained by three extraction methods. Comunicação em painel apresentada no XIX Congreso de La Sociedad Española de Fipatologia que teve lugarem Toledo, Espanha nos dias 8-11 de Outubro de 2018.

- A.C.Moreira. Apresentação do Projecto GO-Declínio do Montado no Alentejo na AgriInnovation Summit que teve lugar no Lagoas Park Hotel nos dias 11 e 12 de Outubrode 2017.-A.C.Moreira. Apresentação do Projecto GO-Declínio do Montado no Alentejo na AgroInovação 2018 - Cimeira Nacional de Inovação na Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural (GO-Produção Animal) que teve lugar no Lagoas Park Hotel no dia 29 de Outubro de 2018 (oral).

Dissertação para obtenção do grau de Mestre em Engenharia Agronómica - Protecção de Plantas intitulada “Selecção de plantas com efeito alelopático para controlar Phytophthora cinnamomi Rands” de Ana Rita Brito Chedas de Sampaio, o qual foi apresentado no ISA em 2017. Este tema está enquadrado nas linhas de trabalho do Projecto PDR2020-101-031496.

Estágio de curta duração (Outubro 2017 a Março 2018) de Manuela RodríguezEstágio de curta duração (Outubro 2017 a Março 2018) de Manuela RodríguezRomero, aluna de Doutoramento da Universidade da Extremadura e bolseira doCentro de Investigaciones Científicas y Tecnológicas de Extremadura (CICYTEX)permaneceu no INIAV trabalhando no estudo “selecção de plantas da flora naturalcom efeito alelopático para Phytophthora cinnamomi”. Este tema constitui o objectivo5 da Tese de Doutoramento da referida aluna e faz parte das linhas de trabalho doProjecto PDR2020-101-031496, que se encontra em curso. Estes estudos aindacontinuam.Calha, I.M.- Apresentação do Projecto GO-Declínio do Montado no Alentejo. XIIConversas de Montanheira na Feira da Luz em Montemor em 31 de Agosto de 2018.

Este GO foi apresentado no Agri-Innovation Summit 2017. O póster apresentado pode ser visto aqui.

Divulgação do projecto pelo EIP-AGRI- Agriculture & Innovation, aceder aqui